Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

BC vê melhora no cenário de inflação e incerteza global

Por Da Redação 28 jul 2011, 09h00

Por Adriana Fernandes e Fabio Graner

Brasília – O cenário prospectivo para a inflação mostra sinais mais favoráveis. Essa é a avaliação dos integrantes do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), manifestada hoje na ata da última reunião que elevou, por unanimidade, a taxa Selic (juro básico da economia) de 12,25% para 12,50% ao ano, sem viés.No documento, os membros do Copom também retiraram a expressão “suficientemente prolongado” para a implementação de ajustes na política monetária. Mas, por outro lado, o Copom chama atenção para um quadro global de maior incerteza.

A ata inclui a palavra “crescente” para qualificar o quadro atual, numa sinalização de maior gravidade das incertezas. “Copom reconhece um ambiente econômico em que prevalece nível de incerteza crescente e acima do usual, e identifica riscos à concretização de um cenário em que a inflação convirja tempestivamente para o valor central da meta”, diz a ata.

Mais à frente, no documento, os membros do Copom também avaliam que as incertezas estão “elevadas e crescentes”. A palavra “elevada”também é nova no texto.

“Embora incertezas elevadas e crescentes que cercam o cenário global e, em escala marcadamente menor, o cenário doméstico, não permitam identificar com clareza o grau de perenidade de pressões inflacionárias recentes, o Comitê avalia que o cenário prospectivo para a inflação mostra sinais mais favoráveis”, destaca a ata, divulgada na manhã de hoje.

Para o Copom, desde a última reunião, no âmbito externo, as evidências apontam moderação adicional no processo de recuperação em que se encontram as economias do G3 (Europa, Estados Unidos e Japão). “Em outra perspectiva, ainda revelam influência ambígua sobre o comportamento da inflação doméstica”.

No âmbito interno, destaca a ata Copom, ações macroprudencias e, principalmente, ações convencionais de política monetária recentemente implementadas ainda terão seus efeitos incorporados à dinâmica dos preços, processo que tende a se acentuar neste semestre.

Também é uma novidade na ata a frase que diz que os efeitos das medidas tendem a se acentuar neste semestre.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês