Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

BC reitera que IPCA vai convergir para o centro da meta

Autoridade monetária sustenta que índice fechará o ano em 4,5%; forte desaceleração dos preços das commodities deve colaborar

Por Da Redação - 23 maio 2012, 11h05

O diretor de política econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, reiterou nesta quarta-feira, durante a divulgação do Boletim Regional Trimestral de abril, que a inflação está convergindo para o centro da meta deste ano, de 4,5%, e que isso deve continuar ao longo de 2012.

Mercado – Por ora, a alta acumulada do indicador gira em torno de 5% em doze meses. Divulgado nesta terça-feira, o último IPCA-15 – que tem a mesma metodologia do IPCA, com alteração apenas no período de coleta, que vai do dia 15 de um mês a mesma data do seguinte – apontou alta acumulada de 5,05% nos doze meses terminados em maio. A pesquisa Focus do Banco Central, por sua vez, mostra que o mercado sustenta uma aposta quase um ponto porcentual maior que a do BC, de 5,21% para o IPCA em dezembro.

Na avaliação de Hamilton Araújo, um dos fatores que vão contribuir para esse desempenho favorável do Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, são os preços das commodities. “Há dinâmica relativamente benigna nos preços das commodities”, disse.

Araújo apontou ainda que o BC projeta expansão de crédito de 15% neste ano. “Há expansão moderada do crédito no país”, comentou. Ele destacou que o nível de atividade apresenta tendência de aceleração no decorrer de 2012, embora tenha reconhecido que a economia mundial enfrenta um período de baixo crescimento generalizado. “Há alguns países em recessão”, afirmou.

Publicidade

Segundo Araújo, há riscos associados ao processo de desalavancagem nos principais blocos econômicos do planeta, o que destaca mudanças no padrão de crescimento de relevantes economias emergentes, e sugere expansão mais moderada de suas economias.

Inadimplência – O Boletim Regional Trimestral de abril divulgado nesta quarta-feira pelo BC aponta que a “a inadimplência das operações de crédito em trajetória crescente” atingiu 3,3% em fevereiro, ante 3,1% em novembro e 2,5% no segundo mês de 2011. O documento traz dados para o trimestre encerrado no segundo mês do ano.

(Com Agência Estado)

Publicidade