Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BC Europeu mantém taxa de juros em mínima histórica

Tanto o Banco Central Europeu (BCE) quanto o Banco da Inglaterra divulgaram nesta quinta-feira decisões sobre política monetária

O Banco Central Europeu (BCE) manteve sua principal taxa de juros na mínima recorde de 0,25% nesta quinta-feira, atendo-se a sua política, apesar da persistente fraqueza de preços na zona do euro que vem alimentando preocupações quanto ao risco de deflação.

A decisão de deixar as taxas inalteradas era amplamente esperada, visto que o banco espera que a inflação acelere gradualmente na direção da meta de abaixo de 2%. Entretanto, o BCE está atento à perspectiva de que a inflação fique estacionada em uma “zona de perigo”, abaixo de 1%.

O BCE também deixou inalterada a taxa de depósito em zero e a de empréstimo em 0,75%.

Leia também:

Em ata, Fed defende cautela para novas reduções dos estímulos

Inflação da eurozona desacelera em dezembro

Grã-Bretanha -Também nesta quinta-feira, o Banco da Inglaterra (BoE, o banco central britânico) manteve sua política monetária inalterada com as taxas de juros na mínima recorde.

A Grã-Bretanha transitou de uma economia fraca para umas das líderes em termos de crescimento entre as maiores do mundo no ano passado.

A economia está crescendo em ritmo de mais de 3% em termos anualizados, embora haja preocupações de que a recuperação pode mostrar-se insustentável, especialmente com o aumento de salários permanecendo fraco.

O BC britânico informou em agosto que não vai cogitar a elevação das taxas até que o desemprego caia para 7%. Desde então, o desemprego mostrou redução muito mais rápida do que o BC esperava, levantando dúvidas sobre por quanto tempo pode evitar elevar as taxas. Mas a inflação também desacelerou para perto da meta de 2%, reduzindo a pressão sobre o BC.

Leia ainda:

Grécia assume presidêcia da União Europeia por seis meses

(com agência Reuters)