Clique e assine com até 92% de desconto

BC alemão reduz previsão de crescimento para 0,3%

Dados positivos da balança comercial e da indústria foram ofuscados nesta sexta-feira após corte de 0,1 pp na estimativa de alta do PIB alemão

Por Da Redação 7 jun 2013, 16h55

Os dados positivos sobre a atividade comercial e a indústria alemã, ambos divulgados nesta sexta-feira, foram ofuscados pela redução da perspectiva de crescimento. Nesta sexta, o BC alemão cortou a expectativa de alta do PIB do país em 0,1 ponto porcentual, para 0,3%.

Em abril, as exportações subiram 1,9% e as importações cresceram 2,3%, de acordo com dados da Agência Federal de Estatísticas. Quanto à indústria, a produção teve alta de 1,8% em abril ante março, de acordo com dados do Ministério da Economia. Essa foi a maior alta desde março do ano passado. “Após o enfraquecimento na segunda metade de 2012, a produção industrial aumentou de novo desde fevereiro”, disse o Ministério em comunicado. “A indústria de construção já parece estar se recuperando de maneira significativa após o duro inverno”.

Leia também:

Milhares protestam em Frankfurt contra a austeridade

Segunda prévia confirma queda de 0,2% do PIB da eurozona no 1º tri

Desemprego na Alemanha cresce mais que o previsto

Apesar dos dados positivos, o BC alemão disse que, após uma melhora no segundo trimestre, a economia pode desacelerar consideravelmente. A autoridade monetária também cortou sua previsão para 2014 para expansão de 1,9%, para 1,5%. A expectativa do Bundesbank (como é chamado o BC na Alemanha) para o crescimento deste ano ficou em linha com a do Fundo Monetário Internacional (FMI), que reduziu sua estimativa para a Alemanha na segunda-feira. A redução “deveu-se principalmente a revisões para baixo relacionadas ao ambiente externo”, disse o Bundesbank, estimando que as exportações podem cair 0,8% em relação ao ano passado.

A economia alemã, tradicionalmente voltada para as exportações, está contando agora com a demanda doméstica para impulsionar o crescimento. Esse cenário é provocado pelo fato de a zona do euro, que responde por 40% das exportações alemãs, estar em recessão.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade