Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

BB e Caixa anunciam nova rodada de corte de juros

Bancos públicos dão continuidade à política do governo de forçar as instituições privadas a baixarem 'spreads' e juros dos financiamentos

Por Da Redação 11 jul 2012, 20h46

Dando continuidade à política do Palácio do Planalto de forçar os bancos privados a reduzir os juros dos empréstimos, as instituições financeiras de capital público Banco do Brasil (BB) e Caixa Econômica Federal (CEF) anunciaram menores taxas para linhas voltadas a pessoas físicas e jurídicas. O ajuste técnico ocorre minutos após a divulgação da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de reduzir a Selic – referência do juro básico na economia – em 0,50 ponto porcentual, para 8,0% ao ano.

Leia também:

BC reduz Selic para 8% ao ano, menor patamar da história

Banco do Brasil – As novas taxas do BB entram em vigor a partir de segunda-feira. Em nota distribuída à imprensa, o BB reafirma que seus valores estão entre os menores do sistema financeiro e que manterá as revisões dos juros em consonância com os ajustes decididos pelo Copom.

No segmento de pessoa física, a taxa da linha BB Crédito Benefício, por exemplo, sai do intervalo de 2,23% a 3,82% ao mês para 2,21% a 3,79% ao mês. Já o BB Crediário Material de Construção passa da faixa de 1,55% a 1,98% ao mês para a banda de 1,53% a 1,98% ao mês. Para as pessoas jurídicas, o BB Giro Rápido FAT terá juros de 1,56% ao mês, ante 1,58% vigente antes da decisão do comitê. A instituição também reduziu os juros das linhas BB Giro APL e BB Giro Saúde.

Continua após a publicidade

Caixa – A CEF também reduzirá juros a partir desta segunda. Para o segmento de crédito à pessoa física, foram reduzidas as taxas das operações de Financiamento de Veículos e Crédito Aporte Caixa, o chamado Refinanciamento de Imóveis ou home equity. Para empresas, a redução contempla as operações de capital de giro com garantia do Fundo Garantidor de Operações (FGO).

No Aporte Caixa (empréstimo com garantia de imóvel urbano ou rural), as taxas vão cair de 1,35% a 1,55% ao mês + TR para 1,31% a 1,51% ao mês + TR. Para o capital de giro com garantia do FGO, haverá taxa de 1,17% a 1,71% ao mês a partir de segunda. Hoje, varia de 1,27% a 2,05% ao mês.

Veículos – Além disso, no crédito da CEF para compra de veículos por pessoas físicas, a taxa mínima foi mantida em 0,75% ao mês e a máxima caiu de 1,75% para 1,63% ao mês. Segundo o banco, as contratações nessa modalidade cresceram 55% na comparação entre junho e abril deste ano.

Para carros novos, com entrada de 30% e prazo de até 60 meses, a taxa máxima cai de 1,65% para 1,36% ao mês. Para usados com até dois anos de fabricação, nas mesmas condições de prazo e entrada, a taxa máxima cai de 1,70% para 1,43% ao mês. “Além de reduzir as taxas, a Caixa reafirma seu posicionamento de não cobrar tarifas adicionais, tais como taxa de gravame, avaliação e registro de contrato”, diz o banco em nota.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade