Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BB corta juros e derruba ações dos bancos

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 4 Abr (Reuters) – O Banco do Brasil deu partida nesta quarta-feira à esperada ofensiva do governo para tentar reduzir os spreads bancários, reduzindo fortemente os juros de diversas linhas para empresas médias e para pessoas físicas. A notícia derrubava ações de instituições financeiras na bolsa paulista.

O programa do BB, batizado de “BOMPRATODOS”, inclui a oferta adicional de 43,1 bilhões de reais, sendo 26,8 bilhões de reais para micro e pequenas empresas e 16,3 bilhões de reais para pessoas físicas.

Às 16h30, a ação do BB recuava 4,32 por cento, a 24,61 reais, perto da mínima até esse horário e apresentando a maior queda do Ibovespa, que caía ao redor de 1 por cento. A do Itaú Unibanco perdia 2,62 por cento, enquanto a do Bradesco tinha baixa de 2,21 por cento.

“Pelo ângulo do investidor, a notícia é ruim, porque isso sugere um aumento da concorrência e a queda das margens dos bancos”, disse o economista João Augusto Frota Salles, da consultoria Lopes Filho.

No caso do varejo, a linha de financiamento para compra de veículos do BB, com crédito pré-aprovado e sem tarifas embutidas, terá queda de pelo menos 19 por cento, informou o banco. Para as linhas voltadas à aquisição de bens e serviços de consumo, os juros médios serão reduzidos em 45 por cento.

Para beneficiários do INSS, as taxas do crédito consignado serão de 0,85 por cento a 1,8 por cento ao mês. Aos clientes que recebem salário no BB será oferecida linha de rotativo do cartão de crédito com taxa mensal de 3 por cento. Atualmen para 53,8 em março, ante 57,1 em fevereiro, após ajustes a variações sazonais, informou o instituto de pesquisa de mercado.