Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Barbosa defende análise rápida do impeachment para o ‘bem da economia’

Ministro do Planejamento também disse que apesar de turbulência política, governo segue trabalhando normalmente

Por Da Redação 8 dez 2015, 16h46

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse que é importante que a situação envolvendo o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff seja resolvida “o mais rápido possível”. “[É importante] não só para o governo, mas para o bem da economia. Eliminar a incerteza é fundamental para agilizar a recuperação do crescimento”, afirmou Barbosa, nesta terça-feira, durante entrevista após audiência na comissão especial da Câmara para análise da prorrogação da Desvinculação de Receitas da União (DRU).

Barbosa também disse que, apesar das discussões sobre o impeachment, o governo segue trabalhando. “Estamos aqui tentando aprovar a DRU. Amanhã (quarta-feira) tem leilão de portos em São Paulo. As iniciativas estão em andamento.” O ministro acrescentou ter certeza que ficará claro que “não há base” para o pedido de impeachment da presidenta.

A extensão da DRU até 2023, que prevê a flexibilização de recursos engessados, é uma das medidas que o governo considera essencial para enfrentamento da crise econômica. “Temos um orçamento altamente enrijecido em que as despesas obrigatórias consomem 89% das receitas do governo e por isso que estamos propondo a renovação da DRU”, disse Barbosa.

Entre os argumentos usados pelo ministro para a aprovação da medida, está a necessidade de redução da dívida bruta do país, que é altamente influenciada no caso de o governo precisar emitir títulos para pagar despesas, o que poderia ser eliminado através da desvinculação. “Temos que estabilizar e depois reduzir dívida bruta”, afirmou. Ainda segundo ele, “sem esforço fiscal, não há retomada do crescimento”.

Leia mais:

‘Contaminada’ pela crise do BTG, Brasil Pharma volta a despencar na Bovespa

Em outubro, produção industrial recua em 10 das 14 regiões pesquisadas

(Com agências)

Continua após a publicidade
Publicidade