Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bancos são multados em US$ 5,6 bi por manipulação de taxa de câmbio

JPMorgan, Barclays, Royal Bank of Scotland, Citigroup, Bank of America UBS concordaram em pagar multas, informou o Financial Times

Por Da Redação 20 Maio 2015, 14h12

Seis bancos globais concordaram em pagar, ao todo, 5,6 bilhões de dólares em multas por manipulação das taxas de câmbio para benefício próprio, informou nesta quarta-feira o jornal britânico Financial Times. São eles: JPMorgan, Barclays, Royal Bank of Scotland, Citigroup, Bank of America e UBS. A notícia é resultado das investigações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ, na sigla em inglês).

Os quatro primeiros admitem que conspiraram para manipular as cotações de dólar e euro nos EUA, disseram as autoridades responsáveis pela investigação. O UBS recebeu imunidade, mas depois se declarou culpado por manipular o valor de referência da taxa Libor (taxa de juros média interbancária), depois de os promotores alegarem que o banco violou um acordo anterior feito para resolver alegações de má conduta.

A multa do UBS, que foi hoje o último a admitir a culpa, será de 545 milhões de dólares, dos quais 203 milhões de dólares são referentes à taxa Libor e serão pagos ao DoJ. O restante, 342 milhões de dólares, será pago ao Federal Reserve (Fed, o banco central americano), pelos negócios relacionados ao câmbio.

Leia mais:

Bancos também são alvo de ação contra Petrobras nos EUA

Continua após a publicidade

Fundos de investimento processam Petrobras nos EUA

O Royal Bank of Scotland transferirá 395 milhões de dólares para a Justiça americana e 274 milhões de dólares para o banco central dos EUA. Os custos do JPMorgan serão, respectivamente, de 550 milhões de dólares e 342 milhões de dólares. O Bank of America, que não foi alvo de nenhuma ação no DoJ, vai pagar uma multa de 205 milhões de dólares ao Fed.

O Barclays terá de pagar um total de 2 bilhões de dólares para o DoJ, o Fed, a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA, o Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York e a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido. Para o Citigroup, o valor total é de 925 milhões de dólares, a ser pago ao DoJ e ao Fed.

Nesta quarta-feira, os advogados dos bancos devem apresentar uma série de argumentos no tribunal federal de Connecticut, nos EUA. Ainda não há operadores acusados, mas o regulador financeiro de Nova York disse que o Barclays deve demitir funcionários envolvidos no esquema. As investigações sobre indivíduos continuam, de acordo com funcionários do governo americano.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade