Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bancos privados aumentam juros para habitação

Itaú, Bradesco e Santander seguiram a Caixa e o Banco do Brasil e elevaram as taxas para conceder empréstimo para casa própria

Em meio à escassez de recursos disponíveis na poupança, principal fonte para o financiamento imobiliário, os bancos privados começaram a cobrar juros mais elevados e ampliaram as exigências para a aprovação de empréstimos na área de habitação. Acompanhando a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander reajustaram as tabelas do crédito imobiliário no início deste ano em relação ao que era cobrado anteriormente, segundo reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira.

O Itaú diminuiu o porcentual máximo de financiamento de 80% para 70%. O banco, contudo, não divulgou o valor das taxas, mas corretores de crédito imobiliário afirmam que a instituição aumentou os juros.

O Bradesco, por sua vez, elevou a chamada taxa de balcão para a concessão de empréstimos para a casa própria, de 9,6% para 9,8%. E O Santander aumentou os juros de 9,6% para 10,1%. O cálculo ainda soma a Taxa Referencial e só é liberado para imóveis de até 750.000 reais.

Antes dos bancos privados, a Caixa já havia elevado os juros para o crédito imobiliário de 9,15% para 9,45%. E Banco do Brasil, de 9,9% para 10,4%.

Uma das razões apontadas pelas instituições para reajustar os juros da habitação foi a elevação da taxa básica de juros (Selic), de 12,75% para 13,25%.

Leia também:

Ajuste fiscal e inflação alta complicam pacote habitacional do governo

Caixa suspende novos empréstimos para financiamento imobiliário com recursos da poupança

Nova etapa do ‘Minha Casa’ terá elevadores

Governo suspende programa Minha Casa Melhor

(Da redação)