Clique e assine a partir de 9,90/mês

Banco Mundial alerta para crescimento global menor em 2013

Relatório indica que recuperação dos países desenvolvidos está lenta; Brasil e emergentes devem cuidar da política monetária para sustentar o crescimento

Por Da Redação - 16 jan 2013, 06h39

O Banco Mundial cortou sua previsão para o crescimento da economia global em 2013. Em seu relatório sobre previsões econômicas mundiais, o banco projetou que o Produto Interno Bruto (PIB) global vai avançar 2,4% neste ano, ante 2,3% em 2012.

Em sua previsão anterior, divulgada em junho, o banco previu crescimento mundial de 3% em 2013. Mas, neste último relatório, os dados refletiram as frágeis condições globais econômicas e a dificuldade para a recuperação dos países desenvolvidos.

Segundo o Banco Mundial, o PIB global deve se fortalecer gradualmente, crescendo 3,1% em 2014 e 3,3% em 2015.

“O que estamos vendo é uma recuperação que antecipamos em junho sendo um pouco atrasada, começando mais perto do fim do primeiro trimestre e em direção ao segundo trimestre de 2013, ao invés de começar um pouco antes”, disse Andrew Burns, principal autor do relatório que é divulgado duas vezes por ano.

Continua após a publicidade

Leia também:

Internacional: Fed projeta crescimento de 2,5% para o PIB dos EUA em 2013

Cenário: OCDE vê perspectiva fraca de crescimento para o Brasil

Para o Brasil, a previsão é de avanço de 3,4% em 2013, 4,1% em 2014 e 4% em 2015, segundo previsões do Banco Mundial.

Continua após a publicidade

Países em desenvolvimento devem se concentrar em políticas estruturais e investimentos para apoiar o crescimento sustentável, e também devem manter o pulso firme na política monetária, sem reagir bruscamente às mudanças nos países desenvolvidos, segundo a entidade.

Mas a instituição reconhece que a contínua incerteza sobre a política fiscal dos Estados Unidos deve ser um duro golpe para países em desenvolvimento. O Banco Mundial prevê crescimento de 1,9% para os EUA em 2013. Para 2014 e 2015, o avanço projetado é de 2,8% e 3%, respectivamente.

Já para a China, o avanço estimado é de 8,4% em 2013, 8% em 2014 e 7,9% em 2015.

(Com agência Reuters)

Publicidade