Clique e assine a partir de 8,90/mês

Banco Central avisa empresas que vai liberar o WhatsApp Pay

Cielo, primeira parceira do Facebook na empreitada, sai na frente pelos testes

Por Machado da Costa - Atualizado em 31 jul 2020, 13h21 - Publicado em 31 jul 2020, 13h16

Os meios de pagamentos receberam uma mensagem animadora do Banco Central nesta sexta-feira, 31. A autoridade monetária autorizou a volta dos testes com o WhatsApp Pay — o que estava proibido desde 23 de junho. Segundo fontes ligadas às empresas de adquirência, a formalização da autorização ainda não chegou, mas está prevista para ser recebida ainda nesta sexta.

Assim, a Cielo, a companhia que estava mais avançada na parceria com o Facebook para permitir transações financeiras por meio do aplicativo, deve sair na frente da concorrência, que será grande. “As empresas vão iniciar os testes assim que chegar a formalização do BC”, disse uma fonte.

Em junho, o Banco Central havia impedido o projeto argumentando que poderia haver riscos para o sistema financeiro. O CADE também havia alegado algo semelhante. Porém, poucos dias depois, o órgão antitruste liberou os testes. Faltava apenas o Banco Central.

ASSINE VEJA

Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia
Clique e Assine

A autoridade monetária também atrasou a viabilidade do WhatsApp Pay em vistas ao seu projeto próprio de transação instantânea, o PIX, que foi antecipado para 5 de outubro. Os dois projetos, um privado, outro público, devem movimentar sobremaneira o mercado de adquirência, tornando obsoletas as maquininhas, pois são fundamentados nas transações por QR Code nos smartphones.

Continua após a publicidade
Publicidade