Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Azul levanta US$ 800 milhões e faz plano para decolar

Companhia anunciou que recursos captados encerram a fase de reestruturação financeira da companhia

Por Larissa Quintino Atualizado em 13 jul 2023, 19h44 - Publicado em 13 jul 2023, 17h16

A Azul captou 800 milhões de dólares com a emissão de títulos de dívida no mercado. A ida até o mercado de capitais para fortalecer o caixa da empresa marca o capítulo final do pacote de reestruturação financeira da companhia, afirmou o presidente da empresa aérea, John Rodgerson, nesta quinta-feira. 13. 

Os planos da companhia agora são voltados ao crescimento da empresa. “Finalizamos a estruturação financeira, levantamos US$ 800 milhões e estamos prontos para crescer de novo. Hoje é o fim deste processo, que começou com a pandemia, sem ajuda governamental, sobrevivendo 1,5 ano sem receita. Trata-se da a maior captação financeira da história da Azul”, afirmou o executivo. 

Na véspera, A Azul afirmou em fato relevante que os recursos serão utilizados para pagamentos de certas dívidas existentes e outras obrigações, e também para demais fins corporativos. A captação superou em 100 milhões de dólares a estimativa inicial da empresa para os títulos de dívida com vencimento em 2028. Nesta quinta-feira, a agência de avaliação de risco, Moody’s, subiu a nota de crédito da área brasileira de “Caa2” para “Caa1”, ainda com indicativo de incertezas, mas alterou a perspectiva de negativa para positiva.

“Renegociamos as dívidas com lessores e bancos, enquanto outras concorrentes optaram pelo Chapter 11 e cortaram dívidas porque não eram capazes de pagar. Este é um final de um processo que começamos no início deste ano para termos certeza que todo mundo iria receber o que era devido e para fortalecer a Azul e prepará-la para crescer novamente”, destacou o CEO. 

Rodgerson se mostrou otimista com o futuro da aviação no país e disse que o cenário com taxa de câmbio menor e desonerações nos combustíveis aumentam a margem de operação. Uma das apostas da companhia é o programa Voa Brasil, anunciado pelo ministro de Portos e Aeroportos, Márcio França, mas ainda sem data para início de operação. “O ministro sinalizou que quer começar a voar no próximo mês e para nós será ótimo se pudermos já vender essas passagens no próximo mês”, afirmou. “Precisamos de mais CPFs voando”.  O programa oferecerá passagens a 200 reais para aposentados, pensionistas e estudantes ou pessoas com renda de até 6.800 reais. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.