Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Avicultura do país vê perda de US$70 mi por tarifa sul-africana

SÃO PAULO, 13 Fev (Reuters) – A aplicação de tarifas antidumping pelo governo sul-africano sobre o frango brasileiro poderá gerar perdas de até 70 milhões de dólares ao mercado brasileiro, segundo a União Brasileira de Avicultura (Ubabef).

A entidade informou que as tarifas antidumping atingem as exportações de frango inteiro e cortes desossados, com sobretaxas de 62,93 por cento e 46,59 por cento, respectivamente.

Por considerar a “aplicação da tarifa injustificável”, o executivo disse que o setor avícola, juntamente com os órgãos governamentais, irá recorrer da decisão do governo da África do Sul, que afeta as exportadoras de carne de frango.

A Ubabef acrescentou que estas sobretaxas se somam às tarifas normais de importação, que são de 5 por cento para o frango inteiro e 27 por cento para os cortes desossados.

“As medidas já estão em vigor e afetam, inclusive, contêineres já embarcados e com destino ao mercado sul-africano”, disse a entidade em comunicado.

O presidente da Ubabef, Francisco Turra, disse que os exportadores brasileiros responderam a todas as questões referentes ao assunto levantadas pela África do Sul, desde o início da investigação em meados do ano passado.

As exportações totais de carne de frango do Brasil para a África do Sul somaram 195 mil toneladas em 2011, contra 181 mil toneladas no ano anterior.

Segundo a Ubabef, em 2010, no período sob investigação de dumping, os cortes sem osso foram equivalentes a 10 por cento e os frangos inteiros, a 4 por cento das exportações de 2010.

A África do Sul importa 16 por cento de todo o frango consumido no país – deste total a fatia brasileira é de 70 por cento. Os produtos sob investigação de dumping representam 3 por cento do total dos produtos avícolas exportados pelo Brasil.

(Por Fabíola Gomes)