Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Avião pousa a 6 mil km do destino original; perícia apura o caso

Relatório sobre o caso, ocorrido na Austrália em 2015, foi publicado nesta quarta-feira pelas autoridades do país

Um avião da empresa Air Asia decolou em Sydney, na Austrália, em direção a Kuala Lumpur, na Malásia – mas chegou a Melbourne, também na Austrália, a 6.300 quilômetros do destino original. Desde o ano passado, as autoridades do país tentam desvendar o episódio – e as primeiras conclusões foram publicadas nesta quarta-feira.

No dia 10 de março de 2015, a aeronave iniciou a viagem para Kuala Lumpur. “Inadvertidamente”, o capitão do Airbus A330 entrou nas coordenadas erradas para o voo, colocando-o rumo não à Malásia, ao norte da Austrália, mas à Cidade do Cabo, na África do Sul.

“Isso afetou os sistemas de navegação a bordo”, diz o relatório da Agência Australiana de Segurança no Transporte (ATSB, na sigla em inglês. “Mas, apesar de uma série de oportunidades para que o erro fosse identificado e corrigido, ele não foi percebido até depois de a aeronave decolar e seguir na direção errada.”

Leia também:
“Achei que fosse morrer”, diz dono da Virgin após acidente
Com luxo e banquete, saiba por que voar de avião era para poucos
Aviação regional recua e expansão da malha fica no sonho

O episódio, ao que tudo indica, deveu-se a um misto de falha humana e dos equipamentos. O avião não dispunha de um sistema que pudesse corrigir ou reconhecer o erro nos dados informados ao computador de bordo, de acordo com o relatório.

O capitão tentou retornar ao aeroporto de Sydney, mas o mau tempo impediu a aterrissagem. Assim, a aeronave seguiu para Melbourne, a 850 quilômetros de distância.

“A ocorrência mostra que mesmo uma tripulação experiente não está imune a erros na informação de dados”, disse a ATSB. “Atualizações de procedimentos e inclusão equipamentos recomendados pelos fabricantes de aviões vão ajudar na prevenção ou detecção dessas falhas.” A agência fez a ressalva de que as descobertas do relatório não devem ser encaradas como uma atribuição de culpa à empresa ou aos profissionais.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Aloisio Barros

    “O Piloto Dormiu”

    Curtir

  2. Ex-microempresário

    Ei, redator! O piloto notou um problema LOGO APÓS a decolagem, e decidiu RETORNAR. Devido às más condições de tempo, optou por uma alternativa. Então, pergunto: a manchete “avião pousa a 6 mil km do destino” é sensacionalismo, má-fé, falta de compreensão ou o quê ???? (Já sei que não será publicado)

    Curtir

  3. Bota na conta do estagiário. Reportagem chula!

    Curtir