Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Auxílio-desemprego nos EUA atinge menor valor em 4 anos

Foram 348 mil novos pedidos na semana passada, melhor resultado desde 2008

Por Da Redação 22 mar 2012, 10h31

O número de novos pedidos de auxílio-desemprego caiu para nova mínima em quatro anos nos Estados Unidos. O dado, divulgado nesta quinta-feira pelo Departamento do Trabalho do país, evidencia que a recuperação da economia americana está ganhando força.

Foram 348 mil solicitações em números sazonalmente ajustados, queda de cinco mil em relação à semana anterior, o menor nível desde fevereiro de 2008. Economistas consultados pela Reuters estimavam alta para 354 mil pedidos.

Os números da semana anterior foram revisados de 351 mil para 353 mil e a média móvel de quatro semanas, considerada uma medida melhor das tendências do mercado de trabalho, recuou em 1,25 mil solicitações, para 355 mil.

Aumento das contratações – Empregadores acrescentaram 227 mil empregos em suas folhas de pagamento em fevereiro, elevando o total dos últimos três meses para 734 mil novas vagas. O número de pessoas que recebe benefícios regulares de programas estatais caiu 9 mil, para 3,35 milhões, na semana encerrada em 10 de março. É o menor nível desde agosto de 2008.

O número de americanos com benefícios de desemprego urgentes recuou 24.312, para 2,85 milhões, na semana encerrada em 3 de março. Um total de 7,28 milhões de pessoas pediram benefícios durante esse período em todos os programas, queda de 142.499 ante a semana anterior.

Apesar da melhora no cenário do mercado trabalhista, o desemprego de longo prazo continua sendo um problema importante. Cerca de 43% dos 12,8 milhões de americanos que não tinham trabalho em fevereiro estão desempregados há mais de seis meses.

Na próxima semana, o departamento vai adotar novos fatores sazonais para 2012 e revisar os dados de pedidos de 2007 a 2011.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade