Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Auxílio Brasil: governo não cumprirá promessas, como benefício retroativo

De acordo com o Ministério da Cidadania, a fila será zerada a partir de janeiro; famílias que receberam R$ 224 em novembro não terão recomposição

Por Larissa Quintino Atualizado em 30 dez 2021, 11h30 - Publicado em 30 dez 2021, 10h50

O Auxílio Brasil, benefício que desde novembro sucede o Bolsa Família, exigiu um esforço hercúleo do governo para que começasse a ser pago ainda este ano. Para isso, precisou de MPs e da aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para que pudesse ser operacionalizado. A promessa principal era que o benefício pagasse 400 reais e zerasse a fila das famílias que estavam esperando o Bolsa Família logo após o fim do auxílio emergencial, encerrado em outubro. Porém, parte do prometido ficou pelo caminho.

Em dezembro, o ministro da Cidadania, João Roma, afirmou que seria pago um benefício retroativo – a fim de completar os 400 reais – junto com o benefício de dezembro, e que estava em busca de fonte de recursos para isso. O benefício base do auxílio é de 224 reais. Porém, a recomposição não foi feita. Em nota enviada a VEJA, a pasta afirma que “pela legislação em vigor, não há previsão de pagamento retroativo desse benefício”. A justificativa, que contraria a fala anterior do ministro, ocorre porque os 400 reais são fruto de um benefício extraordinário, que de acordo com uma medida provisória será pago entre dezembro deste ano e do próximo,  será pago entre janeiro e dezembro do próximo ano, “observada a disponibilidade de orçamento”. 

No caso de acabar com a fila do programa, o Ministério da Cidadania informou que a inclusão de 2,7 milhões de famílias no benefício será efetivada em janeiro de 2021. Na prática, ao fim desse ano, 14,5 milhões de famílias estão recebendo o beneficio. Segundo a pasta, a inclusão já foi feita na competência de dezembro. Porém, de acordo com o calendário do programa, o dinheiro cai na conta a partir de janeiro – como ocorre com salários e aposentadorias. “A medida demonstra o compromisso do Governo Federal em garantir e ampliar continuamente o atendimento nas ações de proteção social para os cidadãos mais vulneráveis”, afirmou a nota.   

Sanção

Nesta quinta-feira, foi publicada no Diário Oficial da União, a sanção da lei que institui o Auxílio Brasil. O presidente Bolsonaro vetou dois dispositivos, entre eles um que instituía a inclusão automática de famílias no programa, visando não formar fila.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)