Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Aumento do IPI de bebidas acontecerá em três parcelas

Apesar disso, o secretário-adjunto da Receita Federal, Luiz Fernando Teixeira Nunes, afirmou que não há data definida para o reajuste

Por Da Redação 26 Maio 2014, 13h02

O aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre bebidas acontecerá em três partes, afirmou o secretário-adjunto da Receita Federal, Luiz Fernando Teixeira Nunes. Segundo informações do Valor Econômico, Nunes disse que ainda não há uma data definida para o início do reajuste.

A Receita Federal ajustou a tabela de tributação sobre bebidas frias, com impacto médio de 2,25% no preço de cervejas, refrigerantes, energéticos, isotônicos e refrescos. Há duas semanas, no entanto, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou o adiamento da medida que entraria em vigor em 1º de junho. De acordo com ele, as alterações deverão ocorrer em setembro.

Leia mais:

Lucro da Ambev sobe 9,4% no 1º trimestre

Ambev não reajustará preço de cervejas até o fim da Copa

Em busca de receita, governo aumenta imposto sobre bebidas

Arrecadação – A arrecadação do IPI teve alta de 4,06% de janeiro a abril ante o primeiro quadrimestre de 2013. O crescimento é resultado da recomposição das alíquotas incidente sobre móveis e linha branca, além de uma melhoria na produção industrial. O pagamento de IPI de automóveis cresceu 17,78% no período também em função da recomposição gradual das alíquotas. Por outro lado, o IPI das bebidas teve queda de 10,02% no primeiro quadrimestre em função da queda na produção e de compensações efetuadas pelas empresas do setor.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade