Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

ATUALIZA1-Petróleo sobe com temores sobre Irã e dados da China

Por Da Redação - 3 jan 2012, 11h37

(Texto atualizado com mais informações e contexto)

Por Christopher Johnson e Robert Gibbons

LONDRES/NOVA YORK, 3 Jan (Reuters) – Os futuros do petróleo registravam alta acentuada nesta terça-feira por conta de tensões entre o Irã e os Estados Unidos que geram temores de uma possível interrupção no fornecimento do Oriente Médio.

Distúrbios na Nigéria e Iraque também colaboraram para elevar os preços, assim como dados chineses mostrando um aumento da atividade econômica.

Publicidade

Por volta das 12h30 (horário de Brasília), o contrato fevereiro do Brent subia 3,74 dólares, a 111,12 dólares o barril.

O petróleo negociado nos Estados Unidos subia acima de 102 dólares no mesmo horário, com alta de mais de 3 dólares.

O mercado começou o ano novo mais forte, com sinais de alta da demanda de economias emergentes e preocupações com a oferta.

Exercícios militares do Irã no Golfo e a movimentação de embarcações navais dos EUA na área elevaram temores de um confronto entre Teerã e Washington, que possa afetar as exportações de petróleo da região.

Publicidade

O Irã disse que pode fechar o estreito de Hormuz, através do qual 40 por cento do petróleo do mundo é enviado, caso sanções sejam impostas ao Irã.

A agência de notícias estatal IRNA citou nesta terça-feira o chefe do exército Ataollah Salehi, dizendo que o Irã tomaria medidas caso uma aeronave dos EUA voltasse ao Golfo por conta dos exercícios militares iranianos.

Carsten Fritsch, analista de commodities do Commerzbank em Frankfurt, disse que as manobras militares e os comentários iranianos elevaram o prêmio de risco para o petróleo e outras commodities.

CHINA

Publicidade

A atividade manufatureira da China se expandiu em dezembro, acalmando temporariamente os temores de que a segunda maior economia mundial pudesse ter forte desaceleração, afetando a demanda pelo petróleo.

Victor Shum, consultor de petróleo da Purvin & Gertz, disse que a direção do mercado de petróleo seria determinada nos próximos meses por uma balança entre questões econômicas na Europa e nos EUA, fatores geopolíticos altistas e a realidade do crescimento econômico nas principais economias asiáticas.

“O petróleo em 2012 verá uma tendência de fortalecimento contínuo uma vez que há maiores riscos de alta”, disse ele, acrescentando esperar que o Brent tenha média de 110 dólares, e o petróleo nos EUA 105 dólares o barril este ano.

O Brent deve ter média de 105 dólares o barril em 2012, abaixo da média de 2011, de 111 dólares, com preocupações sobre o impacto da crise da zona do euro no crescimento econômico, segundo pesquisa da Reuters.

Publicidade

“Esta expansão de dados manufatureiros ajuda a mudar o sentimento no mercado no primeiro dia de negociações”, disse Shum.

Publicidade