Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atividade da indústria de construção apresenta queda em janeiro, diz CNI

Apesar disso, existe um otimismo grande com relação ao futuro do setor

A indústria de construção apresentou, em janeiro de 2019, uma queda em seu nível de atividade e emprego comparado ao mesmo período do ano anterior. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 25, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O índice que mede a atividade do setor ficou em 44 pontos, desempenho 1,6 ponto menor do que em janeiro de 2018.  Já o índice de emprego foi de 42,5 pontos, resultado 1,4 ponto inferior ao do mesmo período do ano anterior. Esses indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando menores que 50 pontos, mostram uma queda no desempenho.

A utilização da capacidade instalada ficou em 55% o que, segundo a pesquisa, mostra um elevado nível de ociosidade.

Apesar dos dados negativos, o otimismo para o futuro é alto. O índice de intenção de investimento do setor recuou 2 pontos em relação a janeiro e ficou nos 36 pontos em fevereiro. Mesmo assim, o indicador está 3,9 pontos acima do registrado em fevereiro de 2018 e é superior à média histórica de 33,7 pontos. O índice varia de zero a cem pontos. Quanto maior o valor, maior é a disposição dos empresários para fazer investimentos.

“A aprovação de reformas econômicas estruturais, como a previdenciária e a tributária, e melhorias no arcabouço regulatório, são medidas que não oneram os cofres públicos e atraem investidores. A recuperação do setor depende de um aquecimento econômico mais robusto e sustentável, capaz de retomar a credibilidade do investidor”, afirma a economista da CNI Dea Fioravante.

Veja também

A confiança dos empresários com o setor também continua elevada. Em fevereiro, o Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) ficou em 63,3 pontos em fevereiro, muito acima da linha divisória de 50 pontos que separa a confiança da falta de confiança. Mesmo com a queda de 0,4 ponto verificada em relação a janeiro, o índice está 10,1 pontos acima da média histórica.

A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o ICEI-Construção alcançou 64,4 pontos em fevereiro. Nas médias empresas ficou em 62,4 pontos e, nas pequenas, foi de 61,7 pontos.