Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Até sexta, trabalhadores de portos definem se entram em greve

Por Da Redação - 3 jan 2012, 17h46

Cerca de 40 mil trabalhadores de portos administrados pela União em todo o país podem entrar em greve nos próximos dias, informou o vice-presidente da Federação Nacional dos Portuários, Everandy Cirino dos Santos. A paralisação será definida durante o encontro nacional da categoria, a ser realizado quinta e sexta-feira, em Santos.

Antes de iniciar uma greve por tempo indeterminado, a ideia é fazer uma paralisação nacional de advertência, com duração de 24 horas. Os detalhes serão definidos em assembleia, com comunicação prévia aos usuários dos portos.

Segundo Santos, que também é presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária de Santos (Sindaport), o maior do país, os trabalhadores pressionam o governo contra a intervenção no fundo de pensão Portus. Segundo Santos, o relatório parcial, apresentado pelos interventores, recomenda a liquidação e o desmembramento do fundo, de forma que cada administradora banque seus próprios participantes, mas não prevê o pagamento dos débitos da União e das patrocinadoras, estimada em R$ 4 bilhões, segundo Santos.

A Secretaria Especial dos Portos afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o grupo responsável pela negociação do Portus está avaliando a situação.

Publicidade

(Com Agência Estado)

Publicidade