Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Arrecadação soma R$ 98,8 bi em julho – pior resultado no mês desde 2010

Economistas projetavam receitas de R$ 100 bilhões com impostos e contribuições. Fisco espera que agosto salve a conta com o Refis

Por Da Redação
22 ago 2014, 14h47

O governo federal arrecadou 98,82 bilhões de reais em impostos e contribuições em julho, informou a Receita Federal nesta sexta-feira. Este é o pior resultado para meses de julho desde 2010 e é 1,60% menor do que o mesmo mês do ano passado, mesmo quando se desconta a inflação do período. Em relação a junho deste ano, a arrecadação apresentou uma alta real de 8,12%. Analistas esperavam 100 bilhões de reais no mês passado.

A arrecadação das chamadas receitas administradas pela Receita Federal somou 92,76 bilhões de reais em julho, uma queda real (descontada a inflação) de 2,27% ante o mesmo mês de 2013. As demais receitas (taxas e contribuições recolhidas por outros órgãos) foram de 6,06 bilhões de reais, alta de 9,87% ante o mesmo período do ano anterior.

No acumulado de janeiro a julho de 2014, o pagamento de tributos somou 677,41 bilhões de reais, praticamente o mesmo visto no mesmo período de 2013. A Receita informou que espera que ocorra um pico de arrecadação em agosto, com o recolhimento de um valor entre 13 bilhões e 14 bilhões de reais relativo ao pagamento do Refis.

Leia também:

Tesouro desembolsa apenas um terço dos repasses no 1º semestre

Continua após a publicidade

Meta – O governo já admitiu informalmente que não vai cumprir a meta de superávit primário (economia feita para pagamento de juros da dívida) deste ano, de 99 bilhões de reais, ou 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB). Nem mesmo a adesão de empresas ao Refis, que é o programa de financiamento de dívidas tributárias da Receita, é suficiente para estimular o aumento da arrecadação.

Numa tentativa de controlar os gastos, o Tesouro tem usado expediente perigoso: tem atrasado repasses referentes a verbas de programas sociais à Caixa, impondo ao banco estatal o ônus.

Leia também:

Governo deve adiar novamente alta de imposto sobre bebidas

Continua após a publicidade

Impostômetro supera 1 trilhão de reais 15 dias antes de 2013

Receita paga nesta sexta o terceiro lote de restituição do IR

Desonerações – A Receita divulgou ainda que a renúncia fiscal com desonerações tributárias somou 58,81 bilhões de reais de janeiro até julho, valor 39,18% maior que os 42,26 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. Só em julho deste ano, a renúncia foi de 8,11 bilhões de reais, número 19,78% maior que o registrados no mesmo mês de 2013 (6,769 bilhões de reais).

A desoneração referente à folha de salários somou 10,97 bilhões de reais de janeiro a julho de 2014, sendo 1,65 bilhão de reais referente ao mês passado.

Continua após a publicidade

(Com agência Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.