Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Arrecadação federal em novembro soma R$ 78,96 bilhões

Apesar da alta na comparação com 2010, a arrecadação apresenta uma desaceleração em relação a outubro

A arrecadação de tributos e contribuições registrou, em novembro, uma desaceleração pelo quarto mês consecutivo e se aproxima da estimativa de crescimento da Receita Federal para 2011. Os números divulgados nesta quinta-feira pelo Fisco mostram que, de janeiro a novembro, a arrecadação teve uma alta real de 11,69%, dentro da projeção de expansão da Receita, entre 11% e 11,5%. Em julho, a alta acumulada no ano era de 13,98%, mas foi mostrando arrefecimento nos meses seguintes.

A arrecadação federal em nomembro somou 78,968 bilhões de reais e superou em 6,39% o desempenho de novembro de 2010 em termos reais. No entanto, na comparação com outubro deste ano, o valor representa uma queda real de 11,47%. A arrecadação de novembro também ficou acima da mediana das projeções, de R$ 78,750 bilhões – o AE Projeções havia coletado um intervalo entre 73,300 bilhões de reais a 83,500 bilhões de reais em novembro com um grupo de 14 instituições financeiras.

No ano, a arrecadação já acumula 873,275 bilhões de reais até novembro, em termos reais. Esse desempenho das receitas no período é 11,69% maior do que o verificado nos mesmos meses de 2010 em termos reais e 19,09% em termos nominais. Todos os impostos e contribuições federais registraram crescimento no acumulado de janeiro a novembro de 2011 em relação ao mesmo período de 2010.

A expansão no Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) foi de 14,22% no período e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), de 23,32%. Já no Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) a alta registrada no período foi de 20,96%, impulsionada pela tributação sobre os ganhos de capital na alienação de bens. A arrecadação do IPI-Outros subiu 12,38% e a do IPI-Automóveis avançou 22,21%.

Já as alterações das alíquotas do IOF nas operações de crédito da pessoa física e de câmbio levaram a um aumento no recolhimento de IOF de 12,31% este ano até novembro. Na Cofins, o aumento da arrecadação foi de 7,17% e no PIS, de 8,30%.

(Com Agência Estado)