Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Argentina ameaça impor novas barreiras ao Brasil

Empresas acusam fabricantes brasileiros de toalhas de praticar dumping

Às vésperas da reunião de Cúpula do Mercosul, que acontece nesta sexta-feira em Foz do Iguaçu, a Argentina ameaça o Brasil com medidas protecionistas. O país iniciou uma investigação de dumping contra os fabricantes brasileiros de toalhas. As empresas locais acusam as brasileiras de vender abaixo do preço de custo para liquidar os concorrentes.

O assunto azedou o clima dos encontros preparatórios da reunião e foi tratado nesta quinta-feira em Foz do Iguaçu entre o secretário de Comércio Exterior do Brasil, Welber Barral, e o secretário de Comércio Exterior da Argentina, Eduardo Bianchi. “O governo busca um compromisso dos dois lados que evite a aplicação da sobretaxa”, disse Barral.

O conflito entre os dois países no setor têxtil não está restrito apenas às toalhas. Há menos de 10 dias, os empresários brasileiros aceitaram uma cota para a exportação de lençóis. Em 2011, o Brasil só poderá embarcar 2.100 toneladas do produto para o vizinho, uma redução de 18% em relação aos 2.557 toneladas vendidas de janeiro a novembro de 2010. O volume é menor que as 2.284 toneladas embarcadas em 2009. A medida afeta as vendas da Teka e da Coteminas.

A abertura da investigação de dumping contra as toalhas brasileiras, solicitada pelo ministério da Indústria – comandado por Debora Giorgi, autora de diversas medidas protecionistas contra produtos brasileiros – foi publicada na quarta-feira no Diário Oficial da União da Argentina. Os relatórios elaborados pela Comissão Nacional de Comércio Exterior e pela Subsecretaria de Política e Gestão Comercial da Argentina indicam uma margem de dumping de 70,9%.

(com Agência Estado)