Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após susto inicial com Trump, bolsas asiáticas se recuperam

"Analistas estão coçando a cabeça, mas acho que o importante agora é o que Trump fará de fato, em vez do que ele vinha dizendo", disse especialista

Por Da redação - 10 nov 2016, 07h36

As bolsas asiáticas fecharam em alta significativa nesta quinta-feira, recuperando-se das perdas de ontem, à medida que os investidores assimilaram melhor a vitória do republicano Donald Trump na eleição presidencial dos EUA e passaram a focar as vantagens de sua futura administração. No Japão, o índice Nikkei saltou 6,72%, a 17.344,42 pontos, garantindo a maior valorização diária em dois meses e apagando a queda de 5,36% de ontem, quando foi anunciada a surpreendente vitória de Trump sobre sua adversária democrata, Hillary Clinton.

Na capital sul-coreana, Seul, o Kospi subiu 2,26%, terminando a sessão na máxima do dia, a 2.002,60 pontos, enquanto em Hong Kong, o Hang Seng avançou 1,89%, a 22.839,11 pontos. Segundo observadores, Trump agradou ao adotar um tom conciliador no discurso de vitória, que contrastou com a agressividade mostrada durante a campanha eleitoral.

Leia também
Os nomes mais cotados para o governo Trump
Brasil pode ficar tranquilo com Trump, diz ex-embaixador
Trump terá maioria no Congresso — mas não deve ter vida fácil

“Analistas estão coçando a cabeça, mas acho que o importante agora é o que Trump fará de fato, em vez do que ele vinha dizendo”, comentou Alex Furber, executivo de serviços para clientes seniores da CMC Markets.

A recuperação na Ásia também veio após o tom positivo das bolsas de Nova York, que ontem fecharam com ganhos superiores a 1%, revertendo perdas de mais cedo, em meio a expectativas de que planos de Trump de cortar impostos para o setor corporativo e aliviar a repatriação de lucros de empresas no exterior ajudarão a impulsionar a economia americana. Há apostas também de que as propostas de gastos fiscais de Trump contribuirão para acelerar o crescimento dos EUA.

Continua após a publicidade

Na China, o Xangai Composto subiu 1,37%, a 3.171,28 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,4%, a 2.096,89 pontos. Na sessão anterior, os mercados chineses tiveram perdas relativamente moderadas, de 0,6%, em meio à avaliação de que um governo Trump poderá ajudar a impulsionar as chamadas ações do tipo A, que são negociadas tanto em Xangai quanto em Shenzhen.

Na Oceania, o dia também foi de forte recuperação na bolsa australiana. O índice S&P/ASX 200 subiu 3,3%, assegurando a maior alta em anos, e fechou a 5.328,80 pontos, a máxima do pregão. Destacaram-se nos negócios de Sydney grandes mineradoras, que tiveram ganhos de mais de 8%, além de grandes bancos australianos e petrolíferas, que avançaram entre 3% e 4%.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade