Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após queda histórica do índice Dow Jones, pânico diminui no mercado

Perdas das bolsas de Nova York foram reduzidas no fim da manhã, depois de o índice Dow Jones registrar a maior queda diária em pontos da história

As perdas das bolsas de Nova York foram reduzidas no fim da manhã, depois de o índice Dow Jones registrar a maior queda diária em pontos de sua história no início do pregão desta segunda-feira, de 1.089 pontos. No começo da tarde o declínio do índice era de cerca de 450 pontos e refletia a redução do pânico também em outros mercados financeiros internacionais.

Temores de que a economia da China esteja se desacelerando dramaticamente provocaram uma forte onda de vendas de ações ao redor do mundo nos últimos dias, o que se intensificou hoje. Na China, o índice Xangai recuou 8,5% e apagou os ganhos do ano até agora. Aqui no Brasil, a bolsa chegou a despencar quase 6% no início do pregão, no menor nível desde abril de 2009. No entanto, por volta das 13h, a queda era de cerca de 2,40%.

Antes da abertura do mercado em Nova York, os futuros do Dow Jones, do Nasdaq e do S&P 500 chegaram a cair cerca de 5%. O NYSE Group, operador da Bolsa de Nova York, invocou a raramente usada “regra 48”, que relaxa algumas regras de operação na tentativa de garantir uma abertura suave dos negócios. A regra é usada quando as operações antes da abertura da sessão regular estão especialmente voláteis.

Na abertura desta segunda-feira, algumas ações individuais e produtos negociáveis em bolsa também dispararam circuit breakers, o que ocorre quando o preço cai 10% ou mais em um intervalo de cinco minutos. “Quando uma grande liquidação acontece, gera mentalidade de manada”, comentou Ryan Larson, diretor de operações com ações nos EUA do RBC Global Asset Management. “Mas assim que esse comportamento de manada se dissipa, pode haver boas oportunidades de compra”, acrescentou.

Como a queda do Dow Jones diminuiu pela metade desde a abertura, Larson observa que os investidores parecem ter começado a perceber que a queda inicial pode ter sido uma reação exagerada. No começo do dia operadores disseram que, conforme as ações atingiam as mínimas, muitos investidores estavam entrando para comprar papéis a preços baixos.

Leia mais:

Bolsas do mundo inteiro desabam em ‘Segunda-feira Negra’

Dólar abre em alta de mais de 2% e chega a R$ 3,55

Os participantes dos mercados aguardam para ver se um circuit breaker amplo pode ser disparado como resultado da forte queda de hoje. A última vez que isso aconteceu foi em 27 de outubro de 1997, quando o Dow Jones caiu 554 pontos, a maior queda diária na história do índice até então.

A nova regra para um circuit breaker amplo usa o S&P 500 como referência. Ele pode ser disparado se o S&P 500 cair 7% antes das 15h25 (em Nova York), o que forçaria a interrupção dos negócios na Bolsa de Nova York por 15 minutos. Se o S&P 500 cair 13% até o mesmo horário, a bolsa é fechada por mais 15 minutos.

Às 13h, Dow Jones caía 1,76%, Nasdaq recuava 1,84% e S&P 500 perdia 1,84%. Na abertura de Nova York as quedas superaram 4% e chegaram a 8% no caso do Nasdaq. Também é possível observar a diminuição do pânico em outros mercados. Na Europa as bolsas chegam ao fim da sessão com declínios em torno de 5%, depois de caírem até 7% mais cedo.

(Com Estadão Conteúdo)