Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após pagar multa bilionária, Vale é porta-voz da MP sobre tributos

Murilo Ferreira anunciou o apoio das empresas à votação da MP 627, relacionada à tributação do lucro de multinacionais brasileiras no exterior

Por Da Redação - 12 mar 2014, 17h28

Foi emblemática a escolha do presidente da Vale, Murilo Ferreira, para anunciar à imprensa o apoio das empresas à votação no Congresso da Medida Provisória 627, que trata da tributação do lucro de multinacionais brasileiras no exterior. Visivelmente desconfortável, Murilo Ferreira deixou por alguns instantes o encontro com dezoito empresários e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para uma breve declaração. A MP 627 foi o assunto discutido na primeira parte da reunião que durou cerca de duas horas. O encontro entrou no seu segundo momento, quando foi servido um almoço e discutida a conjuntura econômica.

Leia também:

Depois do gelo, Mantega convoca encontro para afagar empresariado

A Vale era a empresa com o maior débito junto à Receita, em torno de 45 bilhões de reais, e questionava na Justiça a cobrança dos tributos pela Receita Federal. Ela teve de desistir da ação para poder aderir ao programa de parcelamento (Refis) oferecido pelo governo às multinacionais. Na ocasião, no final de 2013, a empresa informou que faria o pagamento de 5,96 bilhões de reais à vista e mais 16,36 bilhões de reais parcelados em 179 meses. Por conta disso, a empresa amargou um prejuízo no ano passado. O valor pago foi menor que o passivo da empresa por conta dos descontos oferecidos pela MP.

Leia também:

Vale continuará vendendo ativos para fazer caixa em 2014

Refis faz Vale registrar novo prejuízo trimestral: agora de US$ 6,451 bilhões

Os dezoito empresários que estavam na reunião com o ministro da Fazenda eram: Paulo Godoy (Abdib), Flávio Machado (Andrade Gutierrez), João Castro Neves (Ambev), Marcos Jank (BRF), Luiz Roberto Ortiz (Camargo Correa), Nelson Salgado (Embraer), Jorge Gerdau (Gerdau), Rubens Ometto Silveira Mello (Grupo Cosan), Ricardo de Queiroz Galvão (Grupo Queiroz Galvão), Eduardo Ferreira (Helibras), Joesley Mendonça Batista (J&F), José Martins (Marcopolo), Leo Pinheiro (OAS), Marcelo Odebrecht (Odebrecht), João Carlos Braga (Whilrpool América Latina), Murilo Ferreira (Vale), Raul Calfat (Votorantim) e Robson Andrade (CNI).

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade