Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Antônio Ermírio de Moraes é velado em SP

Cortejo sairá às 16 horas rumo ao Cemitério do Morumbi, onde o corpo será enterrado. Em nota, presidente Dilma lamenta morte de empresário

Por Da Redação 25 ago 2014, 11h35

O corpo de Antônio Ermírio de Moraes, presidente de honra do Grupo Votorantim está sendo velado desde 9 horas da manhã no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo, do qual o empresário era presidente de honra. O cortejo sairá às 16 horas rumo ao Cemitério do Morumbi, onde o corpo será enterrado. Ele morreu na noite deste domingo, aos 86 anos, em São Paulo, vítima de uma insuficiência cardíaca. Passaram pelo velório familiares e amigos para se despedir do empresário. Ele deixa a mulher, Maria Regina Costa de Moraes, com quem teve nove filhos.

Em nota, a presidente Dilma Rousseff (PT) lamentou a morte do empresário. “Foi com tristeza que recebi a notícia da morte do empresário e presidente de honra do Grupo Votorantim, Antônio Ermírio de Moraes. Líder nato, Antônio Ermírio sempre acreditou no desenvolvimento do Brasil. Aos familiares e amigos, meus sentimentos por esta perda.” O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou, também em nota, que Antônio Ermírio de Moraes “encarnava o que há de melhor no povo brasileiro”. Segundo Alckmin, “ele era um homem empreendedor e de coração generoso, que expandiu seu grupo empresarial para mais de vinte países, em inúmeras áreas de atuação”.

O Grupo Votorantim também emitiu nota sobre a morte do empresário. “Com o falecimento do Dr. Antônio Ermírio de Moraes, o Grupo Votorantim perde um grande líder, que serviu de exemplo e inspiração para seus valores, como ética, respeito e empreendedorismo, e que defendia o papel social da iniciativa privada para a construção de um país melhor e mais justo, com saúde e educação de qualidade para todos”, diz o comunicado.

Ao site de VEJA, José Pastore, professor da Universidade de São Paulo e autor da biografia intitulada “Antônio Ermírio de Moraes – Memórias de Um Diário Confidencial”, disse que a generosidade era sua principal carcterísita.”Era um camarada muito desprendido, generoso e solidário.” Segundo ele, em muitas situações, o empresário chegava a ajudar sem fazer questão de receber créditos. “Ele não gostava de aparecer, mas estava sempre pronto a colaborar”, acrescentou.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) disse que lamenta, com profundo pesar, a morte de “um dos mais importantes líderes empresariais do país”. “Perdemos um parceiro, mas seu nome sempre foi e sempre será inestimável referência à história da indústria”, afirmou a entidade.

O Hospital Beneficência Portuguesa também disse que lamenta o ocorrido e diz que “perdemos um grande líder e um grande empresário, alguém dedicado à família, à sociedade e que prezava pelo investimento e apoio às ações na área de saúde”.

Continua após a publicidade

Leia mais:

Morre o empresário Antônio Ermírio de Moraes

entrevistas a VEJA

Acervo Digital VEJA: ‘Acredito muito no Brasil. Sempre acreditei’, diz Antônio Ermírio

Biografia – Nascido em 4 de junho de 1928, em São Paulo, Antônio Ermírio cursou engenharia metalúrgica no Colorado. Ao voltar para o Brasil, em 1949, teve como primeiro emprego um estágio não remunerado na Siderúrgica Barra Mansa, uma das empresas da família. Em 1955, foi o responsável pela instalação da Companhia Brasileira de Alumínio. Em 2001, aos 74 anos, deixou o conselho de administração do Grupo Votorantim e passou para os filhos o comando do conglomerado. Nos últimos anos, o empresário começou a sofrer do mal de Alzheimer.

Também dedicou boa parte de sua vida à filantropia, contribuindo com a Sociedade Beneficência Portuguesa e a Cruz Vermelha. Apesar de sua fortuna, Antônio Ermírio adotava uma estilo simples e preferia dirigir carros velhos.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade