Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ante impasse no Congresso, Obama apela para o Twitter

Presidente americano posta perfis de congressistas republicanos no microblog e pede para que a população os pressione por acordo bipartidário

Por Beatriz Ferrari - 29 jul 2011, 16h34

Voters in Nebraska: Tweet your Republican representative and ask them to support a bipartisan solution to the deficit crisis. #compromiseless than a minute ago via web Favorite Retweet ReplyBarack Obama

BarackObama

If you live in Missouri, ask @RoyBlunt to support a bipartisan compromise to the debt crisis.less than a minute ago via web Favorite Retweet ReplyBarack Obama

BarackObama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, começou a postar nesta sexta-feira, em seu perfil no Twitter, apelos para que a população pressione os congressistas republicanos a chegar a um acordo bipartidário sobre o aumento do teto da dívida americana. Fazendo jus à fama de presidente ‘cibernético’, Obama, logo após discursar em rede nacional, postou em seu perfil: “Vocês ouviram o presidente. Tuíte para os seus legisladores republicanos e os pressione a apoiar um compromisso bipartidário para a crise da dívida”. Em seguida, a cada novo tweet, Obama passou a divulgar os perfis dos congressistas republicanos no microblog para cada estado.

Mais cedo, em seu pronunciamento, Obama já havia convocado a população a entrar em contato com os congressistas. “Liguem, mandem e-mails, usem o Twitter. Pressionem o Congresso a resolver essa questão. É tempo de se comprometer com o povo americano e estou confiante que resolveremos esse problema”, afirmou.

O chamado à população também fez parte do pronunciamento em cadeia nacional de televisão nesta segunda-feira, quando o presidente conclamou o povo a “participar do debate”, tal como, segundo ele, ocorreu em outros momentos da história do país.

O limite da dívida dos EUA está atualmente em 14,29 trilhões de dólares e precisa ser elevado até 2 de agosto para impedir que o país deixe de cumprir obrigações financeiras, segundo o Departamento do Tesouro norte-americano.

Continua após a publicidade
Publicidade