Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aneel autoriza reajuste de 35,05% nas contas de luz no Paraná

Aumento das residências e indústrias abastecidas pela Copel será de 37,35% e 33,49%, respectivamente. Governo do Estado tentará, porém, suspender a decisão

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste médio de 35,05% nas tarifas da distribuidora paranaense Copel. Para os clientes de alta tensão, como indústrias, o reajuste médio será de 37,35%, enquanto para os de baixa tensão, como residências, o aumento médio será de 33,49%. O governo do Paraná afirma que vai agir para tentar amenizar o aumento da conta de luz.

Segundo o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, a principal explicação para o aumento das tarifas é a elevação do custo da energia comprada pela empresa. Ele explicou que, apesar de a Copel ter um volume grande de energia velha no seu mix, com preços mais baratos, tanto no leilão no fim do ano passado como no de abril, a energia contratada em substituição à energia já existente estava mais cara.

Leia também:

Energia elétrica tem a maior alta desde 2003, diz IBGE

Falta de luz rendeu R$ 346 milhões aos consumidores em 2013

Consumo de energia por famílias é recorde no 1º trimestre

Dentre os diferentes contratos, a energia comprada pela Copel (para ser revendida aos consumidores) subiu 35%. O índice de reajuste tarifário da distribuidora, excluindo-se os efeitos dos componentes financeiros do ano passado, foi de 30,78% em média, inferior ao pedido feito pela empresa de um reajuste, sem os efeitos financeiros, de 32,45%.

O reajuste também atingiu as tarifas da Companhia Campolarguense de Energia (Cocel), distribuidora cliente da Copel, que abastece o município de Campo Largo (PR). A Aneel autorizou reajuste médio de 42,02% para empresa.

Leia ainda:

Aneel propõe reduzir ganhos de distribuidoras para 7,16%

Aneel diz que faltará dinheiro para cobrir gastos de distribuidoras

Distribuidoras receberão mais R$ 2,2 bilhões em junho

Suspensão – Depois da decisão da Aneel, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB-PR), disse em sua conta do Twitter nesta terça-feira que vai pedir à agência a suspensão do reajuste tarifário da Copel. “Fui surpreendido com a decisão do governo federal de aumentar a luz em 35,05%”, disse no microblog. A ideia é negociar com a empresa uma mudança menos agressiva na conta dos paranaenses.

Uma fonte disse à Reuters que Richa poderá solicitar um diferimento à Aneel para que a distribuidora só aplicasse parte do reajuste neste ano e o restante nos anos seguintes. Nos próximos dias, haverá uma reunião da diretoria da Copel com o governo do Paraná, controlador da companhia, disse a fonte. No ano passado, a Copel também decidiu não aplicar todo o reajuste aprovado pela Aneel. A empresa optou por um diferimento para que parte do reajuste médio entrasse no cálculo da tarifa de 2014.

(com agência Reuters)