Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ampliação do fundo de resgate irá à votação na Eslováquia

País fracassa em estabelecer pacto para aprovação e agora submeterá medida à votação; aumento do fundo de resgate europeu depende apenas desse voto

Por Da Redação 11 out 2011, 06h20

A Eslováquia é o único dos 17 membros da zona do euro que ainda não ratificou este instrumento de proteção da moeda única.

A primeira-ministra da Eslováquia, Iveta Radicova, anunciou que a coalizão de governo não conseguiu nesta terça-feira pactuar a aprovação parlamentar para a ampliação do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF).

“Para mim é inaceitável permitir o isolamento do país”, disse Radicova a respeito da negativa de seus companheiros do partido Liberdade e Solidariedade (SaS) para aprovar o FEEF, o que a fez condicionar a continuidade do governo ao resultado do debate parlamentar, que está previsto para começar às 8h (horário de Brasília) desta terça-feira.

A primeira-ministra afirmou que os liberais do SaS rejeitaram uma proposta dos outros três partidos do governo para que a reforma do FEEF inclua a possibilidade de a Eslováquia vetar no futuro a concessão de ajudas pelo mecanismo de resgate permanente, que deveria entrar em vigor em 2013.

As 22 cadeiras do SaS, em um Parlamento com 150, são essenciais para que o governo possa aprovar a ampliação do FEEF. A Eslováquia é o único dos 17 membros da zona do euro que ainda não ratificou este instrumento de proteção da moeda única.

A decisão do Parlamento dependerá agora em grande parte dos votos da oposição social-democrata, que defende a aprovação do FEEF mas que também reivindicou a queda do Executivo e a realização de eleições antecipadas.

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade