Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

América Latina deve melhorar competitividade, diz Banco Mundial

Por Da Redação - 6 out 2011, 22h01

Por Manuel Jiménez

SANTO DOMINGO (Reuters) – A América Latina teve um bom desempenho na última década pela promoção de políticas de estabilidade econômica e bons preços de bens e produtos de alguns países da região, embora tenha que melhorar sua competitividade para se adequar aos padrões globais, afirmou nesta quinta-feira a diretora-gerente do Banco Mundial, Sri Mulyani Indrawati.

“O maior desafio para a América Latina é ser capaz de atingir o nível da economia global e isso está na área de melhorar a competitividade. Embora muito progresso tenha sido feito, 85 por cento dos países têm melhorado a sua competitividade nos últimos anos, ainda há muito a fazer”, afirmou.

Em entrevista à Reuters em Santo Domingo, onde participa do V Fórum de Competitividade das Américas, ela garantiu que a área mais importante para melhorar a competitividade é a educação.

Publicidade

“Se eu tivesse que fazer uma lista seria: educação, inovação, boas políticas… (além disso) a corrupção e a boa governança”, manifestou Indrawati.

Contudo, ela reconheceu que “na área da educação houve muito progresso, especialmente no acesso à educação primária e secundária, mas a América Latina ainda sofre com a educação do terceiro nível e a qualidade” desta.

Publicidade