Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alstom anuncia criação de centro de tecnologia no Brasil

Por Tânia Monteiro

Brasília – O presidente mundial da Alstom, Philippe Delleur, anunciou, durante audiência com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, que vai criar em Taubaté, São Paulo, um Centro Global de Tecnologia no Brasil, para desenvolvimento de turbinas Kaplan. O centro, que custará R$ 15 milhões, desenvolverá este tipo de turbina Kaplan, que é ideal para projetos hidráulicos de baixa queda, capaz de se adaptar ao volume de água no rio, permitindo que haja produção de energia o ano todo, seja em períodos de cheia ou de baixo volume de água.

Segundo o presidente da Alstom, o Brasil vai se tornar um centro mundial de exportação para este tipo de turbinas. “Neste centro de pesquisa e desenvolvimento vão ter engenheiros brasileiros e vão se desenvolver tecnologias para este tipo de turbina para mundo inteiro”, disse Philippe Delleur, explicando que Taubaté será o centro mundial único da empresa para este tipo de atividade para o mercado mundial.

“A presidente ficou contente com este anúncio porque ele é alinhado com a política de governo de desenvolvimento econômico, com geração de empregos, além de trazer tecnologia mais avançada para o Brasil”, declarou o presidente da Alstom, lembrando que as turbinas Kaplan são usadas nas usinas hidrelétricas a fio de água, que são as usinas que serão desenvolvidas nos próximos anos no mercado brasileiro.

A fábrica de Taubaté, onde o centro de pesquisa avançado será instalado, foi a primeira criada pela Alstom há 55 anos. Hoje a empresa tem oito fábrica no Brasil. Ele prometeu futuros investimentos no país, mas ressalvou que eles dependerão dos contratos que serão assinados nos próximos meses, e em anos. “Mas nas oito fabricas do País, continuamos a investir”, avisou, acrescentando que o centro de pesquisa e desenvolvimento de Taubaté começará suas atividades no início de 2012, com os primeiros engenheiros. Os testes serão possíveis após serem inseridos os novos equipamentos, no início de 2013.

O presidente da Alstom comentou que a presidente Dilma quis conversar sobre a situação econômica mundial, mas que ele evitou o assunto por não ser “um expert” no tema.

De acordo com a assessoria da Alstom, a empresa é líder mundial em infraestrutura para geração e transmissão de energia e transporte ferroviário. Ela projeta e fabrica o trem mais rápido e o metrô automatizado de maior capacidade do mundo.