Clique e assine com até 92% de desconto

Alemanha vai relaxar regras para visto para incentivar negócios

Por Da Redação 27 dez 2011, 11h02

BERLIM (Reuters) – A Alemanha vai relaxar seus controles de visto no próximo ano, disse o ministro das Relações Exteriores, Guido Westerwelle, nesta terça-feira. A medida esperada para ajudar milhares de pessoas e empresas de Rússia e China que buscam fazer negócios na maior economia da União Europeia.

“Estou pressionando por uma política liberal de vistos, que reflita o papel da Alemanha em um mundo globalizado”, disse Westerwelle à Reuters.

As novas regras foram feitas para simplificar e acelerar a emissão de vistos, exigindo menos documentos, disponibilizando os formulários na Internet e garantindo que as decisões sejam tomadas dentro de 72 horas.

Algumas áreas da administração serão terceirizadas e as pessoas, principalmente empresários, não precisarão mais aparecer pessoalmente diante de autoridades alemãs.

Isso é importante principalmente em países grandes como a Rússia, onde é preciso viajar por longas distâncias, gastando muito, para aparecer em um consulado alemão.

Continua após a publicidade

China e Rússia reclamam há vários anos das regras de emissão de visto da Alemanha, que especialistas dizem ser mais rígidas do que as de outros estados da UE. A questão surgiu durante conversas entre o presidente russo, Dmitry Medvedev, e a primeira-ministra alemã, Angela Merkel, em julho.

Westerwelle garantiu que a segurança nacional não estaria comprometida. “Isso não contradiz, de forma alguma, nossos interesses de segurança”, disse.

O influente Comitê Oriental para a Economia Alemã, que incentiva as relações comerciais entre a Alemanha e a Europa do Leste e a Rússia, também pediu que fossem relaxados os controles “ultrapassados”.

“Passaportes biométricos são a maneira mais adequada de controlar quem entra no país”, disse Rainer Lindner, chefe do comitê, à Reuters, acrescentando que a Alemanha tem as regras mais rígidas dentro da área Schengen da UE.

(Reportagem de Andreas Rinke)

Continua após a publicidade
Publicidade