Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Alemanha multiplica por sete as exportações aos Brics entre 1996 e 2011

Comércio com a China teve maior avanço, com alta anual de 17,8% em 15 anos

Por Da Redação Atualizado em 18 mar 2021, 23h58 - Publicado em 29 ago 2012, 08h17

A crescente demanda das economias emergentes que formam o Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) fez com que as exportações alemãs a este grupo se multiplicassem por sete entre 1996 e 2011, anunciou nesta quarta-feira o Escritório Federal de Estatística (Destatis).

Enquanto isso, as exportações alemãs para todos os seus parceiros comerciais cresceram apenas 2,5 vezes, precisou a instituição.

Leia também:

Com Brics em baixa, Mist surge como novo oásis econômico

Fundos dedicados a ativos emergentes atraem capitais

No ano passado, a Alemanha exportou a esses quatro países produtos no valor de 121,2 bilhões de euros, o que representa 11,4% do total de exportações alemãs, contra o índice de 4,3% que era registrado em 1996 (17,5 bilhões de euros).

Continua após a publicidade

Os produtos mais vendidos pela Alemanha a essas economias emergentes são maquinaria, veículos e autopeças.

Por outro lado, as importações de Brasil, Rússia, Índia e China aumentaram desde 1996 a uma taxa anual de 13,2%, também acima da média em termos globais, que cresceu ao ritmo de 6,5% por ano.

Com isso, as importações dos países do Bric passaram de 6,1% em 1996 para 15,4% no ano passado.

A Alemanha importa da Rússia e do Brasil principalmente matérias-primas; da Índia, roupas; e da China, computadores e outros artigos eletrônicos.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade