Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemanha diz que Eurobônus não são ‘remédio milagroso’ para crise da dívida

O governo da chanceler alemã Angela Merkel declarou nesta segunda-feira que a criação de eurobônus, promovida pela Comissão Europeia, não é “um remédio milagroso” para a atual crise da dívida soberana na Eurozona.

“O governo alemão compartilha a opinião estendida de que os eurobônus não seriam atualmente um remédio milagroso”, disse o porta-voz Steffen Seibert em uma coletiva de imprensa.

A Comissão Europeia se dispõe a propor na quarta-feira a criação de títulos de dívida garantidos em comum pelos 17 Estados membros da Eurozona.

A Comissão considera que este instrumento pode atenuar rapidamente a pressão atual sobre as taxas de juros dos títulos espanhóis ou italianos.

Seibert indicou que Merkel prefere uma “solução pacífica, que torne vinculantes os acordos já existentes”. O porta-voz se referia aparentemente ao Pacto de Estabilidade e Crescimento da UE, que estipula um déficit máximo de 3% e uma dívida pública de não mais de 60% do PIB.

O porta-voz considerou que a criação de eurobônus “não combateria as raízes do mal”, ou seja, a disciplina orçamentária.

A Alemanha considera que a criação destes títulos de dívida garantidos em comum dissuadiria os países com problemas fiscais na hora de efetuar reformas.