Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ajustes na economia podem levar retração ao varejo

Para a FecomercioSP, medidas como corte de gastos e aumento de tributos devem impor um desempenho entre 0 e -2% para o setor em 2015

Por Da Redação 8 dez 2014, 08h55

Os prometidos ajustes na economia brasileira prometidos pelo governo Dilma Rousseff (PT) para 2015 podem levar o varejo a uma retração. A previsão é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que desenha um cenário macroeconômico preocupante no ano que vem. Na avaliação da entidade, os prováveis ajustes serão “restritivos”, o que deverá manter os principais indicadores da economia brasileira nos mesmos níveis de 2014. A instituição espera, contudo, que as mudanças consigam recompor, aos poucos, a confiança das famílias e dos empresários.

Apesar de as medidas ainda não terem sido anunciadas, o setor varejista trabalha com a perspectiva de fim das isenções fiscais, como o retorno do IPI para as alíquotas normais, cortes de gastos e aumento da carga tributária. Com isso, as projeções iniciais para o desempenho do comércio no próximo ano variam entre 0 e -2%.

“São projeções com um grau de certeza baixo, pois estamos trabalhando com poucos elementos concretos. Basta um deles não se confirmar e tudo muda”, ponderou Fábio Pina, assessor econômico da FecomercioSP. Para este ano a perspectiva é de um resultado entre -1% e 0%.

Leia mais:

Confiança do comércio cai 10,3% no trimestre encerrado em outubro

Vendas no varejo desaceleram em setembro

“Teremos um ano difícil, embora por um bom motivo: a volta do crescimento. Acredito que terminaremos 2015 com posição oposta à deste ano. Enquanto estamos encerrando 2014 com o PIB desacelerando e consumo fraco e desanimado, em 2015 estaremos na ponta oposta, com a economia voltando a crescer, mesmo que não robustamente, mas indicando que em 2016 será melhor”, avaliou Pina.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade