Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Airbus revisará todos os gigantes A380 por rachaduras na asa

Por Da Redação 8 fev 2012, 13h31

Paris, 8 fev (EFE).- A Airbus anunciou que todos os aviões do modelo gigante A380 terão de passar por uma revisão por causa de uma rachadura, cuja origem está no processo de fabricação de uma parte das asas, operação que vai envolver uma centena de equipamentos, anunciou nesta quarta-feira o fabricante europeu.

Como detalhou a empresa, a revisão vai afetar as 68 aeronaves A380 entregues às companhias aéreas e outras 30 que estão em diferentes fases de montagem com asas feitas pelo mesmo procedimento de fabricação, que agora tem de ser modificadas na planta britânica de Broughton.

Uma porta-voz da fabricante aeronáutica insistiu a Agência Efe em que os controles e os consertos necessários, que estão cobertos pela garantia da Airbus, não têm caráter urgente, nem impedem que as aeronaves continuem operando.

Concretamente, precisam ser feitos durante os 1,3 mil primeiros voos, o que costuma corresponder a dois anos de atividade desde que a aeronave foi colocada em serviço.

Airbus não informou sobre o custo dos consertos e as remodelações nos procedimentos industriais em Broughton.

Continua após a publicidade

De acordo com o fabricante dos aviões, as rachaduras foram identificadas em inspeções de rotina e não representam riscos à segurança, assim como não se trata de uma falha de concepção, já que ‘o desenho do avião é perfeito’.

Igualmente assinalou que o defeito no processo de fabricação se refere à montagem de alguns painéis que formam as asas, mas não de todas as asas.

Airbus minimizou a importância da Agência Europeia de Segurança Aérea (AESA) ter obrigado a ampliar os controles e consertos em todos os A380. Em 20 de janeiro, a empresa havia limitado a 20 aeronaves, as que tinham mais de 1,3 mil horas de voo. Desde então, alguns aviões já passaram por revisões, aeronaves estas que já voltaram a operar.

A AESA acionou a Airbus em janeiro ao constatar rachaduras de maior envergadura, como as conhecidas em outros modelos de aeronaves após algum tempo de uso, e advertiu que ‘se o defeito não for identificado e corrigido, podem afetar potencialmente a integridade estrutural da aeronave’.

Airbus entregou até agora 68 unidades do A380, um avião que em sua versão padrão pode transportar 555 passageiros. A primeira companhia incorporar essa aeronave a sua frota, em 2007, foi a Singapore Airlines. Seguiram a ela Emirates, Qantas, Air France, Lufthansa, Korean Airlines e China Southern. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade