Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

AGU recorre da suspensão de cobrança sobre bagagens em avião

Advogacia-Geral da União recorreu da decisão da Justiça que suspendeu na segunda-feira regra da Anac que entraria em vigor hoje

Por Da redação Atualizado em 14 mar 2017, 17h12 - Publicado em 14 mar 2017, 17h11

A Advogacia-Geral da União (AGU) divulgou nesta terça-feira que pediu a suspensão da liminar que interrompe a cobrança de bagagens em viagens aéreas. A cobrança estava prevista em regra da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que entraria em vigor hoje. Mas a a 22ª Vara Cível Federal de São Paulo suspendeu essa norma temporariamente, a pedido do Ministério Público Federal.

  • A AGU argumenta que a decisão de ontem é uma interferência indevida do Poder Judiciário em um assunto técnico, que é competência da agência reguladora (a Anac) e que a decisão gera “insegurança jurídica e grave lesão à ordem pública”. “Com a decisão judicial, substitui-se a decisão técnica e independente da Anac pelo entendimento unidimensional do Judiciário, com base em argumentos não comprovados”, diz trecho do processo. Na segunda-feira, a Anac também anunciou que recorreria da suspensão da norma.

    Novas regras

    As novas regras da Anac foram aprovadas em dezembro e trazem, entre outras mudanças, o fim transporte gratuito de malas com até 23 quilos em voos domésticos ou de duas malas com até 32 quilos em voos internacionais. A tarifa do serviço será estabelecida pelas empresas.

    Sobre a bagagem de mão, que tinha limitação de gratuidade em malas com até cinco quilos, o limite do transporte gratuito foi aumentado para malas com pelo menos 10 quilos. O tíquete das aéreas terá de especificar claramente quais os valores que serão cobrados dos usuários.

    Também foi suspenso o artigo da resolução que ampliava o limite de peso da bagagem de mão, de cinco para dez quilos. Outros itens da resolução, como regras para cancelamento de voo ou desistência da compra, não foram suspensos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade