Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Afetada por dispensas médicas, Azul já cancelou mais de 300 voos na semana

Segundo Sindicato dos Aeronautas, companhia está com mais voos e o mesmo número de tripulantes e por isso está com dificuldades na escala

Por Luana Meneghetti Atualizado em 13 jan 2022, 18h14 - Publicado em 13 jan 2022, 13h50

O início de janeiro está sendo marcado por uma contaminação em massa de Covid-19 em decorrência da variante ômicron, cepa 70 vezes mais contagiosa que as variantes anteriores, porém mais branda, ao que demonstram as pesquisas iniciais. A onda tem obrigado companhias aéreas a cancelar ou remarcar voos por conta do alto número de tripulantes infectados. De quarta-feira (12) até sábado (15), já foram cancelados 364 voos, segundo dados de empresas áreas e do site de tráfego de voo Flight Aware. Desse total, 284 são da Azul, a mais afetada das operadoras aéreas pela falta de tripulantes.

Na segunda-feira, a companhia teve outras 91 decolagens canceladas, de acordo com o Flight Aware. Assim, apenas a Azul precisou desmarcar pelo menos 375 voos na semana.

O alto número de dispensas médicas na Azul, que já chega a 405% em apenas 13 dias do mês, levou também os funcionários a escalas esgotantes para compensar a ausência de tripulantes afastados. A empresa detém uma frota de 134 aeronaves e conta com um quadro de mais de 10 mil tripulantes. “Essa situação foi mais sentida na Azul porque a companhia está voando significativamente mais do que durante o auge da pandemia, mas com o mesmo contingente de tripulantes”, diz o comandante Ondino Dutra, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA). Segundo o comandante, a situação afeta a qualidade do descanso e do trabalho da tripulação da Azul.

A reportagem da VEJA procurou a Azul para saber se há previsão de contratações para suprir a falta de tripulantes e desafogar a carga de trabalho dos funcionários, mas a companhia não respondeu à pergunta. Em nota, a companhia informa que “registrou um aumento no número de dispensas médicas entre seus tripulantes – casos esses que, em sua totalidade, apresentaram um quadro com sintomas leves – e tem acompanhado o crescimento do número de casos de gripe e covid-19 no Brasil e no mundo”. Segundo a Azul, mais de 90% das operações da companhia estão funcionando normalmente e alguns de seus voos do mês de janeiro estão sendo reprogramados. “Os clientes impactados estão sendo notificados das alterações, reacomodados em outros voos da própria companhia e recebendo toda a assistência necessária conforme prevê a resolução 400 da Anac”, informa em nota a Azul.  A companhia realiza cerca de 860 voos diários, servindo 104 destinos, o que representa 30% do total de decolagens do país.

A Latam Brasil cancelou 183 voos nos últimos dias —  sendo 80 deles entre quarta-feira e sábado desta semana — que estavam programados até domingo, 16. A Latam opera cerca de 625 voos no Brasil. Segundo a SNA, a Latam tem sentido menos a situação porque está voando próximo ao que voava na pandemia e também com um maior número de funcionários. Ao longo de 2021, a Latam contratou mais de mil tripulantes. Até o momento, a Gol não anunciou cancelamentos causados por dispensas médicas na tripulação. Como a empresa ainda não recuperou os voos aos níveis da pré-pandemia, ela possui uma parte da equipe ociosa, que está sendo remanejada para escalas dos funcionários contaminados.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)