Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Acordo sobre déficit dos EUA é possível, diz líder republicano

Por Da Redação 19 nov 2011, 13h38

WASHINGTON (Reuters) – Um dos principais membros de um painel EUA no Congresso dos EUA pediu aos democratas neste sábado a tentar com seus colegas republicanos a costura de um acordo para cortar o déficit do país antes do prazo final da próxima semana.

“Nós temos uma oportunidade única de aprovar uma legislação que vai gerar milhões de empregos, criar um sistema fiscal mais simples, mais justo com taxas mais baixas para todos e colocar o nosso governo em um caminho em direção à disciplina fiscal”, disse o senador republicano Patrick Toomey.

As declarações de Toomey podem mostrar como os republicanos vão tratar do tema redução do déficit até o prazo de meia-noite de quarta-feira.

Os democratas rejeitam a abordagem Toomey, reclamando que ele confia muito em cortes de gastos. Em vez disso, os partidários do presidente Barack Obama querem aumentos de impostos sobre os ricos.

Depois de quase três meses de negociações, o tempo está se esgotando para o painel de seis democratas e seis republicanos chegarem a acordo sobre como reduzir o déficit em pelo menos 1,2 trilhão de dólares em 10 anos.

Continua após a publicidade

As dúvidas são cada vez maiores de que o painel vai chegar lá. Um fracasso provocará cortes automáticos de gastos.

Os mercados financeiros e os eleitores esperam que um acordo desacelere o crescimento da dívida pública, que na semana passada chegou a 15 trilhões de dólares.

Apesar das palavras Toomey, pouco em termos de negociações era esperado neste final de semana, disseram assessores.

Contrário a qualquer aumento de impostos, Toomey ofereceu um plano que, segundo ele, geraria 300 bilhões de dólares em novas receitas. Os democratas esperavam que Toomey colocasse aumentos de impostos sobre a mesa e consideraram sua proposta totalmente inadequada.

(Reportagem de Thomas Ferraro)

Continua após a publicidade

Publicidade