Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ações do Deutsche Bank despencam e desconfiança aumenta

Causa da crise é uma multa, contestada pela instituição, de até 14 bilhões de dólares sobre venda de títulos lastreados por hipotecas

Por Da redação 30 set 2016, 09h11

As ações do Deutsche Bank, o maior banco da Alemanha e um dos maiores do mundo, caíram ao seu maior nível nesta quinta-feira depois que investidores resgataram grande quantidade de papéis que estavam investidos na instituição. Por volta das 8h40, as ações do banco caíam 6,67% cotadas a 11,48 dólares.

Nesta quinta-feira, o banco admitiu que tem um problema de imagem com investidores, enquanto novas preocupações sobre a estabilidade do maior banco da Alemanha levando suas ações nos Estados Unidos a uma mínima recorde.

A última guinada veio após a agência de notícias Bloomberg noticiar que vários fundos de hedge que fazem operações de derivativos com o Deutsche resgataram excesso de capital e ajustaram posições no banco, sinal de que estão receosos em fazer negócios com ele.

Leia também:
Greve dos bancários já dura 23 dias e é a maior desde 2004
Confiança do comércio cai em setembro após 4 altas, aponta FGV

Segundo a Bloomberg, dez fundos de hedge que fazem transações de derivativos com o Deutsche retiraram dinheiro e algumas posições que tinham no banco. Após a divulgação da informação, houve um movimento de venda de ações do banco alemão nas bolsas globais.

A informação também aumentou a preocupação dos investidores em relação à saúde financeira do banco e a disposição do governo alemão em evitar que a instituição quebre e possa contaminar o sistema financeiro. De acordo com o CEO do banco John Cryan não há base para essa especulação que a imprensa vem incentivando, de acordo com ele. “Estamos confiantes de que uma vasta maioria deles enxerga nossa completa estabilidade financeira, o atual ambiente macroeconômico, o processo judicial nos EUA e os progressos que estamos fazendo com nossa estratégia”, disse.

Multa

Ações despencaram perto de mínimos de 30 anos no início desta semana depois surgiram relatos de que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos está multando em 14 bilhões de dólares a instituição, que teria criado produtos financeiros a partir de créditos hipotecários insolventes, que contribuíram para a crise financeira de 2008.

A queda dos papéis do banco alemão repercutiu em bolsas de valores globais. O Ibovespa fechou esta quinta-feira com baixa de 1,69% aos 58.351 pontos e com volume financeiro de 5 bilhões de reais. O volume é um pouco menor do que a média diária do mês, que está em 5,2 bilhões de reais.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade