Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ações de estatais avançam em dia de expectativa por Datafolha e Ibope

Ibovespa subiu 0,37%, puxado por Petrobras, Banco do Brasil e Eletrobras; ações da Oi despencaram 12% e impediram avanço maior do indicador

Por Da Redação 9 out 2014, 18h06

O Ibovespa fechou em alta de 0,37%, aos 57.267 pontos, no pregão desta quinta-feira, na expectativa pela divulgação de pesquisas eleitorais. Na abertura, a bolsa chegou a subir quase 2%, ultrapassando os 58.000 pontos. O mercado brasileiro encerrou a sessão desalinhado com o resto do mundo – as bolsas americanas caíram cerca de 2%, enquanto as europeias também amarguraram perdas nesta quinta-feira. Os dados ruins na Alemanha (Produto Interno Bruto foi revisado para baixo) e a desconfiança com relação à recuperação dos EUA prejudicaram, segundo o analista Flávio Conde, da Gradual Investimentos.

O descompasso é explicado pela expectativa com relação às pesquisas de intenção de voto para o segundo turno realizadas por Datafolha e Ibope, que serão divulgadas na noite desta quinta e podem trazer ventos favoráveis ao candidato tucano Aécio Neves. “As três estatais (Petrobras, Banco do Brasil e Eletrobras) puxaram a alta do índice”, explicou Conde. Os papéis ordinários (ON) e preferenciais (PN) da Petrobras subiram 1,94% e 1,68%, respectivamente. Os ON do Banco do Brasil lideraram os ganhos, com avanço de 3,84%. Os da Eletrobras ON tiveram alta de 1%. A subida só não teve impacto maior no Ibovespa porque os papéis da Oi recuaram mais de 12%, após notícia sobre o pedido de falência do Grupo Espírito Santo.

Leia mais:

Possível aliança entre Marina e Aécio anima Bolsa e faz dólar recuar

Na montanha-russa do dólar, saiba se é a melhor hora para comprar

Cidade onde o Bolsa Família é maior escolheu Marina

Dólar sobe – O dólar interrompeu movimento de queda das últimas sessões e subiu 0,50%, a 2,3979 reais na venda. O movimento acompanhou o de outras moedas de países emergentes e sinaliza certa aversão ao risco. O dólar é visto como moeda segura em momentos incertos. Outro claro sinal de aversão ao risco veio do ouro, que subiu 1,62%, para 1.225,30 dólares por onça-troy, nesta quinta – a maior variação diária desde 6 de agosto e a maior cotação em três semanas.

Continua após a publicidade
Publicidade