Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Ações da Vale e Petrobras despencam e puxam Ibovespa

Papel da mineradora perdeu 8% ao longo do pregão, enquanto o da estatal recuou quase 3%

Por Da Redação 14 jan 2015, 19h47

A BM&FBovespa fechou em baixa nesta quarta-feira, guiada pela forte queda dos papéis da mineradora Vale, pressionada por preocupações sobre o crescimento global que têm pesado sobre o preço de commodities. O Ibovespa caiu 0,82%, a 47.645 pontos. Na máxima, chegou a subir 0,5%, a 48.280 pontos. O giro financeiro somou 5,8 bilhões de reais.

As ações preferenciais da Vale (sem direito a voto) despencaram 7,77%, a maior queda desde 8 de agosto de 2011, após o preço do minério de ferro na China cair próximo da mínima em mais de cinco anos. O Citi cortou a projeção para o preço do minério de 65 para 58 dólares a tonelada em 2015.

A Bradespar, uma das principais acionistas da Vale, viu suas ações recuarem 7,49%, mesmo após seu Conselho de Administração ter elevado, na véspera, o volume de ações em programa de recompra para até 24,8 milhões de papéis.

A Petrobras foi outro componente negativo, com recuo de 2,89%, em meio à volatilidade nos preços do petróleo e noticiário intenso sobre a estatal, enquanto investidores seguem na expectativa do resultado do terceiro trimestre, previsto para o dia 27.

Leia também:

Fed reconhece que o petróleo mais barato não beneficia a todos

Continua após a publicidade

A alta do setor bancário, principalmente de Itaú Unibanco e Bradesco, chegou a sustentar o principal índice da bolsa paulista no azul na segunda etapa do dia.

A corretora do Credit Suisse observou fluxo de compra de ações de bancos privados, principalmente por parte de agentes locais. “Nossa percepção é a de que, após o grande tombo no setor da educação no começo do ano, os bancos seguiram um dos poucos ‘portos seguros’ em nosso mercado”, disse.

Mas a deterioração em Wall Street minou a tentativa de recuperação no pregão local. O corte das projeções do Banco Mundial para o crescimento da economia global endossou apreensões sobre o ritmo da recuperação dos países , com dados fracos do varejo norte-americano reforçando vendas, conforme agentes avaliam os primeiros balanços em Nova York. O índice S&P 500 fechou em queda de 0,6% nesta tarde, enquanto Dow Jones recuou 1%. Já a Nasdaq caiu 0,5%.

Dólar – O dólar fechou em queda e voltou a 2,62 reais nesta quarta-feira, após números fracos sobre o varejo nos Estados Unidos reforçarem a perspectiva de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, será “paciente” para elevar os juros. A moeda norte-americana também foi guiada pelos preços do petróleo, que tiveram um dia marcado por volatilidade.

O dólar caiu 0,59%, a 2,6213 reais na venda, após atingir 2,6007 reais na mínima da sessão. Trata-se do nível mais baixo de fechamento desde 10 de dezembro passado, quando a divisa foi a 2,6125 reais.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)