Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ações da Telecom Italia e TIM caem em meio à cobrança de imposto

Suposta dívida bilionária com Receita Federal causou desvalorização dos papéis da companhia na Itália e no Brasil

Por Da Redação 20 ago 2012, 17h06

A notícia veiculada pela imprensa italiana de que a TIM Participações terá de pagar grande quantia em impostos atrasados à Receita Federal fez com que as ações da companhia caíssem nesta segunda-feira. Às 16:45, as ações da TIM Participações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) mostravam declínio de 1,5%, com leve recuperação ante as perdas do início da tarde, quando chegaram a ser cotadas com queda de mais de 4%. Na bolsa de Milão, os papéis de sua controladora, a Telecom Italia, fecharam em queda de 3,64%, enquanto o principal índice de ações italianas perdeu 1%.

Neste final de semana, os jornais italianos Il Messagero e o Il Sole 24 Ore publicaram a informação de que a Justiça brasileira decidiu contra a TIM Participações em um caso de cobrança de impostos atrasados. O balanço semestral da Telecom Italia informa que a Receita Federal de Pernambuco está cobrando 1,26 bilhão de reais em impostos atrasados relativos a operações no Nordeste da controlada do grupo no país. As informações sobre a cobrança estão disponíveis desde o fim de julho nos relatórios de resultados de segundo trimestre da TIM Participações.

Nos documentos, a TIM afirma que a cobrança refere-se a uma série de acusações da Receita de Pernambuco, como uso indevido do benefício fiscal de redução de imposto de renda de 2006. A Telecom Italia, em seu balanço semestral, diz que “não considera provável que a companhia possa sofrer consequências negativas relacionadas a tais eventos”.

A companhia italiana declara também no balanço que a TIM recorreu da cobrança da Receita Federal em abril, mas que o recurso foi rejeitado. A empresa, então, apelou da decisão da primeira instância em maio. Procurada no Brasil, a TIM informou que se pronunciará ainda nesta segunda-feira sobre o assunto.

Leia mais:

TIM antecipa-se à Anatel e adota nova regra de chamada

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade