Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ações da BRF sobem com expectativa de troca de comando

Os papéis da companhia fecharam ontem com alta de 9,55% e chegaram a avançar 7% hoje. Mas os ganhos desaceleraram para 2,86%

O mercado recebeu bem a notícia de que o presidente da Petrobras, Pedro Parente, pode assumir a presidência do conselho de administração da BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão. O cargo é ocupado hoje pelo empresário Abilio Diniz.

No começo da manhã, as ações da maior processadora de alimentos do país chegaram a subir 7%. Por volta das 13h, entretanto, os ganhos tinham recuado para 4,17%. Às 13h36, a alta era de 2,86%. A redução dos ganhos aconteceu em meio à expectativa de que a União Europeia vai proibir 20 unidades de frigoríficos brasileiros de exportar frango para a região. Na véspera, o papel da BRF fechou em alta de 9,5%.

Parente divulgou um comunicado ontem à noite confirmando que aceitava a indicação para a presidente do conselho da BRF. Caso seu nome se confirme, ele diz que renunciará à presidência do conselho de administração da B3, que controla a Bolsa de Valores de São Paulo. Uma assembleia para a composição de novo conselho da BRF está marcada para 26 de abril.

Em um tom mais conciliador do que o visto nos últimos meses, Diniz e os fundos de pensão Previ e Petros indicaram o presidente da Petrobras para liderar o conselho da BRF. Nesse arranjo, o colegiado capitaneado por Parente manterá a atual direção da empresa, com José Aurélio Drummond como CEO da companhia. Parente é conhecido como um executivo que resolve crises e tem experiência no setor de agronegócios e foi inclusive presidente da Bunge, uma das maiores comercializadoras de grãos do mundo.

A disputa em torno da presidência do conselho começou com o descontentamento dos fundos de pensão como desempenho financeiro da BRF. Petros e Previ pediram a substituição de Abilio após a companhia registrar um prejuízo recorde de 1,1 bilhão de reais em 2017. Os dois fundos detêm 22% do controle da companhia.

(Com Estadão Conteúdo)