Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ações da BRF recuam após Arábia Saudita restringir compra de frango

Maior importador de frango restringiu a compra de carne de frango produzida no Brasil para apenas 25 dos 58 frigoríficos habilitados

Por Larissa Quintino Atualizado em 22 jan 2019, 17h18 - Publicado em 22 jan 2019, 16h30

As ações da BRF operavam em queda de 3,88% na tarde desta terça-feira, 22, após a Arábia Saudita anunciar a suspensão da compra de carne de frango de alguns frigoríficos brasileiros. Entre os descredenciados estão plantas da BRF e da JBS.  Os papéis da JBS apresentavam leve desvalorização, de 0,58% às 14h57.

Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), dos 58 frigoríficos habilitados para exportar carne de frango para a Arábia Saudita, apenas 25 foram autorizados a continuar a venda de carne ao país. Na prática, apenas trinta efetivamente exportavam, então o impacto da restrição dos sauditas é sobre cinco unidades. “As razões informadas para a não autorização das demais plantas habilitadas decorrem de critérios técnicos. Planos de ação corretiva estão em implementação para a retomada das autorizações”, afirmou em nota.

Segundo o Ministério da Agricultura, o serviço sanitário da Arábia Saudita enviou um relatório atualizando os frigoríficos aos quais foi permitido vender carne aos sauditas.  Autoridades do país estiveram no Brasil em outubro de 2018 para visitar frigoríficos, fazendas e fábricas de ração. Perguntado sobre a justificativa da restrição, o ministério se limitou a dizer que “ainda está examinando o relatório e encaminhará aos estabelecimentos as recomendações apresentadas”.

De acordo com a pasta, o grupo dos 25 frigoríficos que continuam credenciados a vender carne ao país árabe foi responsável por 63% das exportações de frango, equivalente a 437 mil toneladas ao país. A Arábia Saudita é o maior importador do produto.

Procurada, a BRF não se manifestou até esta publicação. A JBS disse que não iria se posicionar sobre o assunto.

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês