Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Acionistas aprovam venda da Portugal Telecom por R$ 21,6 bi à Altice

Oi, que foi impedida de votar em assembleia na quinta, comemorou a decisão e já mira a consolidação no mercado brasileiro

Por Da Redação - 23 jan 2015, 08h17

Os acionistas da operadora Portugal Telecom (PT SGPS) aprovaram nesta quinta-feira a venda de sua divisão portuguesa (PT Portugal) à Altice, de Luxemburgo, por 7,4 bilhões de euros (21,6 bilhões de reais). Por ser acionista da PT SGPS e dona dos ativos portugueses, a Oi foi impedida de votar na assembleia, por ter interesses diretos. Em comunicado enviado ao mercado no fim desta quinta-feira, a Oi comemorou a aprovação da venda e já disse que o dinheiro lhe ajudará a reduzir dívidas e consolidar sua posição no mercado brasileiro – o que poderá ser feito, segundo especialistas, via aquisições. No ano passado, surgiram muitos rumores no meio corporativo de que a Oi teria contratado o banco BTG Pactual para fazer uma oferta à TIM.

“A Oi entende que esta decisão é a que gera mais valor para todos os acionistas. Com a venda, a PT Portugal fica mais forte para atuar em Portugal e a Oi fica mais forte para operar no Brasil, com redução das respectivas alavancagens”, disse a companhia de telecomunicação brasileira em comunicado. “O processo de venda é fundamental, pois coloca as duas empresas em melhores condições financeiras e operacionais e, no caso da Oi, representa também a perspectiva concreta de a companhia ter participação importante no processo de consolidação do mercado de telecomunicações brasileiro.”

Leia também:

Oi registra lucro de R$ 5 milhões no 3º trimestre

Publicidade

Conselho da Oi aprova venda da Portugal Telecom à Altice

Minoritários da Portugal Telecom se mobilizam contra venda da empresa

Em dezembro de 2014, o Conselho de Administração da Oi já havia aprovado a venda da PT Portugal para a Altice. No entanto, o negócio ainda dependia do apoio dos acionistas da PT SGPS, holding do grupo Portugal Telecom. A dúvida, na época, era se o grupo iria preferir a oferta pública de aquisição de ações (OPA) proposta pela empresária angolana Isabel dos Santos.

Após uma longa reunião, votaram a favor 97,81% do capital representado, entre eles os acionistas de referência do Novo Banco (herdeiro do Banco Espírito Santo), o grupo português Ongoing e o grupo Visabeira.

Publicidade

A Oi é a terceira maior acionista da PT SGPS, com fatia de 10%. A maior fatia do capital da PT SGPS está dividida entre investidores institucionais, sendo o Novo Banco o maior acionista (12,6%), seguido pelo grupo de mídia Ongoing (10,05%).

O processo de venda da PT Portugal ainda será submetido à aprovação dos órgãos reguladores portugueses, seguindo depois para o fechamento e liquidação financeira, que devem acabar até o final do primeiro semestre.

(Com agência Reuters)

Publicidade