Ação da Petrobras sobe quase 10% após plano de reajuste

Mercado se mostrou otimista com nova metodologia de reajuste do preço dos combustíveis, o que pode trazer alívio para as contas da estatal

Por Da Redação - 28 out 2013, 18h15

O principal índice da Bovespa subiu nesta segunda-feira, após três quedas seguidas, ancorado na disparada das ações da Petrobras. O papel da estatal foi impulsionado por expectativas do mercado ligadas à nova metodologia para preços de combustíveis, anunciada na sexta, junto ao balanço da companhia. O Ibovespa subiu 1,7%, a 55.073 pontos, encerrando quase na máxima da sessão, de 55.076 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 6,79 bilhões de reais.

As ações preferenciais da Petrobras subiram 7,57% e as ordinárias avançaram 9,83%, após a companhia informar na noite de sexta-feira que sua diretoria deliberou sobre metodologia de preços de combustíveis, sem informar detalhes do mecanismo. A expectativa de que o novo sistema promova maior alinhamento entre os preços de gasolina e diesel aos praticados no exterior influenciou mais as ações da petroleira do que a frustração com o lucro do terceiro trimestre, que ficou abaixo do previsto por analistas, afetado pela defasagem nos preços e pelo dólar mais forte.

O mercado deixou claro, após os movimentos desta segunda, que chancela a tentativa da empresa de tentar reequilibrar suas contas e evitar um rebaixamento de sua nota por parte das agências de classificação de risco. Agora, está nas mãos do governo a decisão de acatar ou não o pedido da estatal. O ministro da Fazenda Guido Mantega é o presidente do Conselho de Administração e será responsável por deliberar o pedido da diretoria executiva da empresa, que é endossado pelos acionistas do setor privado. Mantega, contudo, tem se mostrado arredio a autorizar o aumento. Seu temor é que a inflação seja impactada, o que pode dificultar ainda mais sua manutenção abaixo do teto da meta.

Leia também:

Publicidade

Novo plano da Petrobras prevê reajuste automático dos combustíveis

Investimentos no pré-sal dependem do caixa futuro da Petrobras

Nova metodologia – O diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa, afirmou que a mudança contemplará ajustes automáticos e ajudará a reduzir a alavancagem – grau de endividamento – da companhia. Além da Petrobras, a blue chip Vale também ajudou na alta da bolsa. As ações de Eletropaulo, B2W e MRV também fecharam em forte alta. Já as ações da OGX, petroleira do empresário Eike Batista, chegaram a cair mais de 20% durante o pregão, impedindo uma alta mais consistente do Ibovespa ao longo do dia, mas encerraram estáveis.

A BRF, que também divulgou seu balanço nesta segunda-feira, recuou quase 4%, após divulgar resultado abaixo da expectativa média de analistas. Fora do Ibovespa, estreou na bolsa a ação da Anima Educação, que encerrou em alta de 3,84%. Na terça-feira, os papéis de outra companhia de educação, a Ser Educacional, começarão a ser negociados.

Publicidade

Leia ainda:

Lucro da Petrobras cai 45% no 3º trimestre – a R$ 3,3 bilhões

Defasagem do preço da gasolina fez Petrobras perder R$ 14 bi em 2013

EUA – No exterior, as bolsas nova-iorquinas tinham um pregão morno, com agentes do mercado focados no futuro da política de estímulos do Banco Central dos Estados Unidos, cujo comitê de política monetária encerra na quarta-feira reunião de dois dias. Espera-se que a autoridade monetária mantenha o programa de estímulos monetários até 2014, injetando liquidez nos mercados.

Publicidade

(com agência Reuters)

Publicidade