Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Abras: supermercados vendem 3,7% mais em setembro

Por Da Redação - 25 out 2011, 10h46

Por Rodrigo Petry

São Paulo – As vendas reais nos supermercados cresceram 3,7% em setembro na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo divulgou hoje a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Em relação a agosto deste ano, o faturamento dos supermercados caiu 0,75%. Nos primeiros nove meses do ano, as vendas subiram 4,21% em relação ao mesmo período de 2010. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Segundo a Abras, as vendas em setembro mantêm trajetória de crescimento como reflexo da estabilidade econômica, do baixo desemprego e de melhores níveis salariais. “Nossa expectativa é de que essa tendência se estenda até o final do ano”, afirmou a Abras por meio de nota divulgada à imprensa.

O valor da cesta AbrasMercado, formada por 35 produtos considerados de largo consumo, como alimentos, limpeza e beleza, medido pela GfK, apresentou alta de 1,36% no preço em setembro ante agosto, para R$ 306,42. Já na comparação com setembro de 2010, o valor subiu 10,71%.

Publicidade

Os produtos com maiores altas em setembro frente a agosto foram leite longa vida (+4,9%), queijo prato (+3,13%) e café torrado e moído (+3,11%). Já as maiores quedas no período ficaram com tomate (-7,47%), cebola (-6,13%) e batata (-2,50%). No acumulado do ano, a cesta AbrasMercado registra queda de 0,21%.

No período do Natal, as vendas devem crescer 15,6%, na comparação com o mesmo período de 2010, segundo pesquisa da Abras feita com seus associados. Esse resultado, dia a Associação,está acima das expectativas do setor feitas no ano passado, de 12,5%.

Segundo o levantamento, os empresários do setor aumentaram as compras de todos os produtos típicos de Natal em relação a 2010. As encomendas de cerveja cresceram 16,8%, de frutas nacionais da época, 16,3% e de refrigerantes, 16,1%. Já as encomendas de peixes congelados avançaram 15,3% e de peixes frescos, 14,2%. Os produtos com menor crescimento das encomendas foram peru, com alta de 4,5%, e de tender, com alta de 3,9%.

Entre as encomendas de produtos importados, os destaques foram os azeites, as azeitonas, os queijos e embutidos, com alta de 14%, seguido por frutas especiais importadas (+12,9%) e vinhos importados (+12,2%).

Publicidade