Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

À espera de Copom, dólar avança a R$ 2,27

Moeda americana chegou a 2,2807 reais no intraday, mas desacelerou. Nesta quarta-feira o BC vai anunciar decisão sobre taxa de juros

Por Da Redação 10 jul 2013, 15h51

O dólar chegou a atingir 2,2807 reais nesta quarta-feira, por volta de 14h30. O ritmo de alta diminuiu e, às 15h45, a cotação do dólar comercial estava em 2,27 reais, oscilando 0,42%. A oscilação pode ser explicada por dois eventos: a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa básica de juros e a divulgação da ata do Federal Reserve, (Fed, o banco central americano) que solucionou algumas dúvidas sobre as perspectivas de estímulos econômicos dos Estados Unidos.

Leia também:

Em ata, Fed pede melhora do emprego antes de reduzir estímulos

Em junho a moeda americana disparou e saiu do patamar de 2,10 reais para 2,25 depois que o Fed anunciou que deve começar ainda este ano a retirar os estímulos econômicos dos EUA.

O quadro de incertezas e especulação dá um tom de volatilidade para as sessões. No último pregão o dólar fechou em alta de 0,12%, a 2,262 reais. A semana começou com baixo fluxo de operações devido ao feriado no estado de São Paulo na terça-feira.

A reunião do Copom, que termina nesta quarta, deve vir sem surpresas, segundo analistas. A maior parte dos profissionais ouvidos espera que a Selic suba de 8% para 8,5% ao ano, fato que altera a configuração de retornos de investimentos no país. Com a taxa de juros maior, os investimentos em renda fixa se tornam mais atraentes. O Copom deve anunciar a nova taxa no início da noite.

A bolsa de valores brasileira, porém, segue em alta de mais de 1% nesta quarta-feira, com as ações da OGX puxando a alta. Os papéis da petroleira de Eike Batista sobem mais de 13% (por volta de 15h). Nesta quarta-feira, a EBX, holding do empresário e controladora da OGX, anunciou que conclui com sucesso uma reestruturação de seu contrato com o fundo de Abu Dhabi, resgatando parte de seu investimento no fundo.

Leia ainda: Saída de dólares do país em junho é a maior do ano

Continua após a publicidade
Publicidade